ONDE PRATICAR

ONDE PRATICAR
Clique na imagem e conheça os Nucleos da Moy Yat Ving Tsun no Rio

Friday, November 25, 2011

INTERVIEW WITH MASTER FABIO GOMES FINAL (ENTREVISTA COM MESTRE FABIO GOMES FINAL)

(CONTINUAÇÃO)
(PART 2)
Si Sok Fabio com o Cel Gilberto Antonio de Azevedo e Silva ,que em  1957 coordenou os trabalhos de elaboração e desenvolvimento do 1º Curso de Operações Especiais do EB, embrião dos atuais Cursos de Ações de Comandos e Forças Especiais.

Si Sok Fabio  with Col. Gilberto Antonio de Azevedo e Silva, who in 1957 coordinated the drafting and development of the 1st Special Operations Course EB, embryo of the current courses of action and Special Forces Command.

...Neste período, após eu e meu Si Hing Nataniel Rosa começarmos os estudos do Ving Tsun no 1° Batalhão de Forças Especiais do Exército Brasileiro, tivemos a oportunidade de também ministrar esta atividade para os Comandos Anfíbios (COMANF) do Batalhão de Operações Especiais de Fuzileiros Navais da Marinha do Brasil e para integrantes do Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE) da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro.

Ao longo desta empreitada tive a colaboração de grandes Irmãos Kung Fu: Marco Paulo, Domenico Venturelli e Diego Guadelupe.

Após algum tempo, pude realizar este trabalho sozinho, sempre sendo orientado por meu Mestre e por sua esposa, minha Si Mo Vanise Imamura. Não posso deixar de citar o grande apoio que recebo de minha família consanguínea, em especial minha esposa Rosana e minha filha Juliana.

Além de ter atuado com o Ving Tsun em militares já especializados, ou seja, já qualificados como Comandos e Forças Especiais, realizei estudos de Ving Tsun também para auxiliar em sua formação no Curso de Ações de Comandos e Curso de Forças Especiais, no Centro de Instrução de Operações Especiais do Exército Brasileiro.

Portanto, desde 1999 tenho a honra de ainda poder manter contato com os Comandos e Forças Especiais do Exército, que estejam na ativa, veteranos e pioneiros. E sempre que sou autorizado por eles, ministro estudos de Ving Tsun para estes militares de elite.
Devido a este trabalho inicial tenho tido a possibilidade de atuar com o Ving Tsun junto a outras Forças de Segurança e para o setor corporativo.

... At this time, after me and my Si Hing Nathaniel Rosa begin studies of the Ving Tsun in the 1st Battalion of the Brazilian Army Special Forces, also had the opportunity to teach this activity for Amphibian Command (COMANF) Operations Battalion special Marine Navy of Brazil and members of the special Police Operations Battalion (BOPE) of the Military Police of Rio de Janeiro.

Throughout this endeavor I had the great collaboration of Kung Fu Brothers : Marco Paulo, Domenico  Venturelli and Diego Guadeloupe.

After some time, I could do this work alone, always being guided by my Master and his wife, my Si Mo Vanise Imamura. I can not fail to mention the great support I get from my blood family, especially my wife Rosana and my daughter Juliana.

In addition to having worked with Ving Tsun has specialized in military, or have qualified as Command and Special Forces have carried out studies of Ving Tsun also to assist in their training course Actions Command Course and Special Forces, the Centre instruction for Special Operations of the Brazilian Army.

So since 1999 I have the honor to still keep in touch with Commands and Army Special Forces who are on active duty, veterans and pioneers. And when I am authorized by them, Minister Ving Tsun studies for these military elite.

Because of this early work have been able to work with the Ving Tsun along with other security forces and the corporate sector.

 Si Sok Fabio de azul, observa atentamente o momento em que estou reaprendendo a chutar com a ajuda de Si gung. Mais tarde, perguntando a ele sobre seu trabalho com forças de Operações Especiais, ele disse que os participantes gostam muito do Ding Geuk usado no Ving Tsun, porque não atrapalha a arma que já está posicionada ao se chutar como vemos abaixo.

Si Sok Fabio,in blue, looks intently at the moment I'm learning to kick "again"(lol) with the help of Si gung. Later, asking Si Sok about his work with Special Operations forces, he said that the participants really like Ding Geuk used in Ving Tsun, because it disrupts the weapon that is already positioned to be kicking as shown below.

BLOG DO PEREIRA: Quais as dificuldades encontradas por você ao trabalhar o Ving Tsun desta forma?
FABIO GOMES:O desafio é sempre estar buscando uma linguagem cada vez mais apropriada para que estes Profissionais possam compreender a dimensão do Kung Fu, em especial o Sistema Ving Tsun que, como sabemos, vai além do combate corporal. Ele pode ser estendido a outras situações e cenários vivenciados por estes militares.

PEARTREE'S BLOG: What are the difficulties encountered when working with you in this way the Ving Tsun?

Fabio Gomes: The challenge is always to be seeking a language more appropriate for these professionals to understand the scale of Kung Fu, especially Wing Chun system which, as we know, goes beyond the melee. It can be extended to other situations and scenarios experienced by these soldiers.
BLOG DO PEREIRA: Como foi para você estar na China com o Clã Moy Yat conhecendo locais históricos e trocando experiências com praticantes do outro lado do mundo?

FABIO GOMES: Foi uma experiência bastante significativa. Acho que toda pessoa que estuda Kung Fu sonha em um dia poder ir à China.

Porém, quando estive por lá, praticando Ving Tsun diretamente com chineses, foi como se estivesse me reencontrando com integrantes de uma mesma Família. O que quero dizer é que vivenciei o que já sabia, ou seja, o Ving Tsun que eu estudo no Clã Moy Yat é legítimo, não me fazendo sentir um estrangeiro na China, no que diz respeito ao estudo do Kung Fu. 

PEARTREES'S BLOG: How was it for you to be in China with the Moy Yat clan knowing historical sites and exchanging experiences with practitioners across the world?

Fabio Gomes: It was a very significant experience. I think every person who studies Kung Fu dreams of one day being able to go to China.

However, when I was there, practicing Ving Tsun directly with Chinese, it was like I was reuniting with members of the same family. What I mean is that what I experienced  I already knew, the Ving Tsun I study in the Moy Yat clan is legitimate, not making me feel a foreigner in China, with regard to the study of Kung Fu.
Si Sok Fabio Gomes acompanha o trabalho de um dos melhores inscultores de carimbos chineses do país. Sua loja funciona dentro do parque onde Ip Man gostava de praticar em FatSan.

Si Sok Fabio with one of the best chinese stamp makers in China. The store runs inside the park where Ip Man used to like to train.
 Um dos descendentes biológicos do Si fu de Ip Man, Chan Wah Shun, esteve presente num encontro para receber o Clã Moy Yat entre outros Clãs.

In one of the days, a legit blood descendant of Ip Man´s Master, Chan Wah Shun, was there for Moy Yat Clan and another ones.
Si Sok Fabio Gomes não fez feio.
Si Sok Fabio did a good job that day!
Em alguns locais, todos paravam para ver quem eram aqueles "seres estranhos" que também sabiam Ving Tsun. Ainda em FatSan, Si Sok Fabio praticou com membros da Linhagem de Lun Gai,um dos primeiros alunos de Ip man.

In some places people went to street to see who where those "strange guys" who also know Ving Tsun.
Here, Si Sok Fabio trains with Lung Gai lineage.
Si Sok Fabio acabou se tornando uma celebridade local.rs
Everyone after a while, wanted to shake hands or just take a pic with Si Sok Fabio.lol
Si Sok Fabio, junto de Si fu, Si Sok Marcelo Abreu e Sr Michael Wong, também visitou locais históricos para o Ving Tsun, como a antiga sede do King Fa Wui Gun(瓊花會館), que era a sede da Ópera Cantonesa. Que abrigou o Ving Tsun por três gerações.

He also visited special places for Ving Tsun, as the old place for the King Fa Wui Gun(瓊花會館), The Cantonese Opera, where Ving Tsun was kept by 3 generations.
Si Sok Fabio troca experiências com membro da Linhagem Yuen Kai San na lendária escola de artes marciais chinesas Jing Wu. Que tem sua fundação e a história de seu fundador mostrada no filme 
"O Mestre das Armas".

Exchanging with a Yuen Kai San lineage member in the legendary Jing Wu school in Fat San.
The story of this place and its founder can be seen in the movie "Fearless"
Prestando respeito, já em Hong Kong, ao tumulo do Patriarca Ip Man.
Already in Hong Kong, paying respect for Ip man memory.
Esse é um dos grandes nomes do Clã Moy Yat que vive em Hong Kong até hoje: Ming Jai!
Membro do primeiro grupo de alunos de Si taai Gung Moy Yat, ensina alguns truques a Si Sok Fabio.
This is one of the greats in Moy Yat Clan: Ming Jai!
One of the students of the first group in Hong Kong leaded by Si Taai Gung Moy Yat, showing some special moves to Si Sok Fabio.
O carisma de Ming Jai mantem os olhares atentos sobre ele. Ao seu lado, 
Ip Ching, seu Si Baak, e filho mais novo de Ip Man.
His charisma is very intense! By his side, his Si Baak , Ip Ching, son of Ip Man.
O constante trabalho de Si Sok na área de segurança, rendeu a ele reconhecimento.
Acompanhe abaixo , trecho editado pelo BLog de sua participação na TV record falando sobre segurança junto de seu Si fu, Leo Imamura:

Thanks to his efforts in security area, Si Sok Fabio got recognition in Brazil.
Here, he shows for the second brazilian TV channel, how Ving Tsun deals with security in the streets with his Si fu ,Leo Imamura:
WATCH THE ENGLISH SUBS VIDEO BELOW:



BLOG DO PEREIRA:E com relação ao seu próprio Mestre, Leo Imamura, como você enxerga sua relação com ele? Poderia citar dentro desta mesma questão, como funciona a comunicação entre vocês para estar sempre atualizando o seu trabalho com as próprias atualizações de seu Mestre com relação ao Ving Tsun?

FABIO GOMES: Se fosse responder esta pergunta para uma pessoa fora da Família Kung Fu, diria que sinto minha relação com ele como a de um filho para com seu pai (sem querer diminuir ou substituir meu pai consanguíneo, que é uma pessoa que também admiro e amo bastante). Para integrantes da Família Kung Fu responderia esta pergunta dizendo que minha relação com ele é como de um To Dai para com seu Si Fu.

Estamos em constante contato, sempre que encontramos um dia e horário adequados, realizo minhas sessões da fase não-estruturada buscando estar sempre atualizado quanto ao estudo do Sistema Ving Tsun seja a nível pessoal ou profissional. 
PEARTREE'S BLOG: And about  your own Master, Leo Imamura, how you see your relationship with him? 

Fabio Gomes: If I were to answer this question for a person outside the
Kung Fu Family , I would say that my relationship with him is like a son and father (without wanting to diminish or replace my father's importance, who is a person that I also admire and I love a lot). For  members of Kung Fu family answer this question by saying that my relationship with him is like a To Dai and Si Fu .

We are in constant contact, whenever we find a suitable day and time, I conduct my sessions unstructured phase of trying to be updated concerning the study of the Ving Tsun System is a personal or professional level.

BLOG DO PEREIRA: O Blog agradece pela oportunidade e gostaríamos de pedir que deixasse uma mensagem para os leitores!

FABIO GOMES:Quero agradecer primeiramente a Deus por tudo o que tem proporcionado e pela oportunidade de poder fazer parte do Clã Moy Yat. O meu muito obrigado também ao Blog pela entrevista concedida e aos leitores que se interessaram pelo seu conteúdo, espero ter tido condições de atender suas expectativas.

A mensagem que quero deixar é que nunca desistam de seus sonhos, quando parecer impossível de serem realizados, procurem observar a mesma situação de outro ângulo, muito provavelmente existirão outras formas de se fazer a mesma coisa.

Permita-me compartilhar um texto do meu amigo Marcos Sousa, Consultor de Vendas para Área de Segurança:

“Você já ouviu falar do Erik Weihenmayer? Não? Esse cara escalou o Everest. Alguns já dirão que é um grande feito escalar a maior montanha do mundo (8.848 metros). Outros dirão que não precisa escalar um Everest para realizar algo. Concordo! Alguns dirão que mais de uma centena de pessoas já escalaram. Outros lembrarão que quase uma centena também já morreu tentando… Ótimo. E se eu disser que Erik Wihenmayer é deficiente visual? Dá para imaginar quão difícil foi para esse cara dar um primeiro passo?

Aos 13 anos, Erik descobriu que tinha uma doença genética que acabou provocando uma deficiência visual. No dia 25 de maio de 2001, aos 32 anos de idade, Erik Weihenmayer se tornou o primeiro cego a atingir o topo da montanha mais alta do mundo. Qual era a profissão dele? Professor de ginásio. Ele recebeu diversos prêmios por sua coragem em ir além dos limites que sua condição física permitia. Além do Everest, Erik Weihenmayer escalou outras sete montanhas mais altas do planeta, entre elas o Aconcágua (Argentina) e o Kilimanjaro (Tanzânia). E tudo começou apenas com um passo!”

Fiquem com Deus e não tenham medo de seguir seus corações.

PEARTREE'S BLOG: The Blog thanks for the opportunity and we would ask to you to leave a message for the readers!

Fabio Gomes: I want to first thank God for everything that has provided and opportunity to be part of the Moy Yat clan. My thanks also to the interview and blog readers who are interested in the content, I hope I have been able to meet your expectations.

The message I want to make is that we must never give up our dreams, when it seems impossible to be done, try to observe the same situation from another angle, most likely there are other ways to do the same thing.

Let me share a text from my friend Marcos Sousa, Sales Consultant for Security Area:

"You have heard of Erik Weihenmayer? No? This guy climbed Everest. Some will say it is already a great feat to climb the highest mountain in the world (8,848 meters). Others will say that one does not need to climb Everest to accomplish something. I agree! Some will say that more than one hundred people have climbed. Others remember that nearly a hundred have already died trying to ... Great. And if I say Erik Wihenmayer  is blind? Can you imagine how difficult it was for this guy to take a first step?

At 13, Erik found that he had a genetic disease that has caused a visual impairment. On May 25, 2001, at 32 years of age, Erik Weihenmayer became the first blind person to reach the top of the tallest mountain in the world. What was his profession? School teacher. He received numerous awards for his courage in going beyond the limits that his physical condition permitted. Besides Everest, Erik Weihenmayer has climbed another seven highest mountains on the planet, including Aconcagua (Argentina) and Kilimanjaro (Tanzania). And it all started with just one step! "

Stay with God and not be afraid to follow your hearts.

Thiago Pereira
moyfatlei.myvt@gmail.com

3 comments:

  1. Muito bacana a entrevista!Curti muito!
    Muito legal a visita a escola jing wu. Se não me engano, ela ta,bém está mencionada no filme "A fúria do Dragão", do Bruce Lee...

    È sempre um prazer inenarrável ler seu blog amigo pereira!
    Super abs.

    Dido

    ReplyDelete
  2. Hello Τherе. I found your blog using mѕn.
    This iѕ а vеry well written article.
    I'll be sure to bookmark it and return to read more of your useful information. Thanks for the post. I will definitely comeback.

    Here is my blog: http://www.the-track.co.uk

    ReplyDelete