ONDE PRATICAR

ONDE PRATICAR
Clique na imagem e conheça os Nucleos da Moy Yat Ving Tsun no Rio

Tuesday, September 27, 2016

Ving Tsun and Self-Defense (Ving Tsun e Defesa Pessoal)

(Si Baak Nataniel Rosa golpeia Si Suk Fabio Gomes durante demonstração no BOPE)
(Si Baak Natan punches Si Suk Fabio during a demo at the Rio Police Elite Squad headquarters)

A lógica grega divide as coisas entre teórica e prática. E assim, concebemos qualquer ideia relacionada as artes marciais. Quando vemos um movimento do Ving Tsun num primeiro momento, tentamos associá-lo com alguma "situação prática" na qual ele poderia ser usado. Isso pode até parecer funcionar em alguns momentos, mas na maioria nossa busca por um "sentido" no que fazemos, nos distância das "evidências" que um determinado movimento , ou como chamamos, dispositivo, porta dentro dele.

The Greek logic divides things between theory and practice. And so, we conceive any idea related to the martial arts . When we see a movement of Ving Tsun at first, we try to associate it with some "practical situation" in which it could be used. That may seem to work at times, but most our search for "meaning" in what we do, distance us of the "evidence" that a particular movement, or as we call, device, port inside itself.
(Si Fu pratica o Muk Yan Jong na antiga sede mundial da MYVT)
(Si Fu practices Muk Yan Jong at the former headquarters of MYVT)


Quando falamos de "defesa-pessoal" para um leigo, ou mesmo um praticante inexperiente de artes marciais. Possivelmente virá a sua cabeça uma movimentação que vai garantir seu bem estar físico numa situação de crise. Esse tipo de pensamento estereotipado ocorre, segundo Geoffrey York em "Battling the Clichés in Birthplace of Kung Fu", porque o conceito de "Kung Fu" no ocidente é basicamente conhecido através de filmes . E nesse mundo cinematográfico, Jackie Chan, Bruce Lee e Jet Li são considerados Mestres com suas habilidades de se defender fisicamente.

When we speak of "self-defense" to a layman, or even an inexperienced practitioner of martial arts. Possibly comes to his head a move that will ensure his physical well being in a crisis situation. This kind of stereotyped thinking occurs, according to Geoffrey York in "Battling the Clichés in Birthplace of Kung Fu", because the concept of "Kung Fu" in the West is basically known through films. And in this movie realm, Jackie Chan, Bruce Lee and Jet Li are considered Masters with their skills to defend thenselves physically.
Felizmente, fomos brindados com a franquia "O Grande Mestre" (Ip Man) , que nos mostra um Mestre de Kung Fu, envolto em problemas do dia a dia como falta de dinheiro, doenças e problemas de relacionamento. Ip Man, não o da vida real, mas dos filmes. É uma espécie de "Homem-Aranha" moderno: Um herói que tem os mesmos problemas que a audiência, fazendo com que ela se identifique mais com ele.

Fortunately, we were treated to the franchise "Ip Man", which shows a Master of Kung Fu, wrapped in problems of everyday life such as lack of money, illness and relationship problems. Ip Man, not from real life, but from the films. It is a kind of modern "Spider-Man" : A hero who has the same problems as the audience, causing it to identify more with him.
(Si Suk Ursula Lima e Si Suk Ricardo Queiroz praticando observados ao fundo por Si Gung)
(Si Suk Ursula Lima and Si Suk Ricardo Queiroz observed
 from the background by Si Gung while practicing)


Nos filmes do "Grande Mestre" , vemos Ip Man com uma atitude diferenciada que é a de evitar o confronto a qualquer custo. Pois o personagem sabe , como um artista marcial experiente. Que entre a fantasia que muitas vezes nos leva a uma prática marcial, e a realidade que pode nos levar a morte. Existe uma grande diferença.
Por isso, é perigosíssimo falar em "técnicas de defesa pessoal". Pois , ao se falar em técnicas, dá-se a entender que ela será eficaz no que se propõe, independente do contexto em que for usada.

In the movies about "Ip Man", we see Ip Man with a different attitude is to avoid confrontation at all costs. For the character knows, as an experienced martial artist. That between fantasy that often leads us to a martial practice for the first time, and the reality that can lead us to death. There is a big difference.
So it is dangerous to speak of "self defense techniques." For, when speaking "techniques", gives to understand that it will be effective in what it proposes, regardless of the context in which it is used.
Por isso, Grão-Mestre Leo Imamura(foto) fala da importância do papel da antecipação quando se trata de "defesa pessoal" (física): "A defesa pessoal , principalmente para o civil. Ela se encontra no estágio anterior ao momento de conflito" - Diz Si Gung em uma entrevista.
Isso quer dizer, que ao invés de pensarmos em como reagir quando a situação já estiver acontecendo, pensamos no perigo quando ele ainda está imanente. Pois, se você pensar em como se defender depois que a situação acontecer, estará sempre em desvantagem, pois o atacante, numa situação de assalto por exemplo, já sabe onde vai atacar.

So, Grand Master Leo Imamura (photo) talks about the importance of the role of anticipation when it comes to "self-defense" (physical). "The self-defense, mainly for civil people,  is in the previous stage to the moment of conflict "- says Si Gung in an interview.
This means that rather than think about how to react when the situation is already happening, think of danger when it is still immanent. For if you think about how to defend after the situation happens, you will always be at a disadvantage because the attacker in an assault situation for example, already knows where he will strike.
Quando conheci Si Fu(foto), durante o que chamamos de "Apresentação Individualizada", no mesmo local da foto acima: Núcleo Tindiba no Rio de Janeiro. Percebendo a minha falta de interesse no que ele estava falando a respeito do Ving Tsun, e minha vontade de ver alguma ação. Ele me convidou para me levantar que ia me mostrar uma coisa. Ele já sabia que eu tinha praticado uma arte marcial coreana por um ano e meio e disse sem rodeios: "Me dá um chute". Eu era abusado o suficiente para fazê-lo, mas simpatizei com Si Fu desde à primeira vista e perguntei: "Qual?" . Ele então respondeu: "Qualquer um".
Usei chute, e Si Fu, que na época era paciente o suficiente para este tipo de demonstração, apenas com uma das pernas abordou o chute, girou-me no meu próprio eixo e me deixando de costas para ele, posicionou uma palma em minha nuca: "Legal né?" - perguntou ele. Meu sorriso respondia por mim.

When I met Si Fu (photo), during what we call the "Individualized Presentation" at the same location the photo above:former Tindiba School in Rio de Janeiro. Noticing my lack of interest in what he was talking about on Ving Tsun, and my desire to see some action. He invited me to get up because he was going to show me something. He knew that I had practiced a Korean martial art for a year and a half and said bluntly: "  Kick me " I was abused enough to do it, but sympathized with Si Fu since at first glance and asked, "What Kick?" . He then replied: "Anyone."
So I kicked, and Si Fu, who at the time was patient enough for this type of demonstration, with only one leg approached the kick, turned me on my own axis and driving me back to him, placed a palm on my nape: "Cool right?" - He asked. My smile answered for me.
(Esse sou um mês antes de meu primeiro encontro com Si Fu)
(Thats me, just one month before my first meeting with Si Fu in my life)


 Com o tempo, passei a entender o que meu Si Fu falou algumas vezes sobre quando precisarmos do Kung Fu ele aparece. E por saber a dor que um soco causa quando somos golpeados pra valer , e por saber da responsabilidade que devemos ter ao golpear alguém. Não tenho mais fantasias com lutas e duelos nos meus devaneios.
Entendendo minha responsabilidade como um descendente da Linhagem Moy Yat , estive sempre buscando me antecipar a possíveis situações de confronto físico.  Ainda que muitas vezes tenha escutado ou vivido coisas que não gostei de viver nem de ouvir. E em outras oportunidades, poucas de fato, mas em que fui acometido fisicamente depois que comecei a praticar e preferi deixar pra lá.
Nessas horas, sempre lembrava do que Si Gung disse certa vez: "O que dói não é o tapa, é o ego".

With time, I understood what my Si Fu spoke a few times about when we need, the Kung Fu appears. And knowing the pain that a punch does when we are beaten for real, and know the responsibility that we have when we hit someone. I have no fantasies about fights and duels in my daydreams.
Understanding my responsibility as a descendant of the Lineage Moy Yat, I was always looking to anticipate the possible situations of physical confrontation. Although often I have heard or experienced things that I did not like to live or to hear. And at other times, few indeed, but I was physically attacked after I started practicing and I preferred to let it go.
At such times, always remember what Si Gung once said: "What hurts is not the punch, is the ego."
No próximo Sábado, membros do Grande Clã Moy Yat Sang do Rio de Janeiro poderão entender mais sobre "Inteligência Marcial aplicada a Defesa Pessoal" no seminário com Mestre Leonardo Reis(foto), meu Si Hing. O Seminário será no próximo Sábado de 09h as 11h no Méier ! Para maiores informações é só mandar um email para: moyfatlei.myvt@gmail.com

Next Saturday, members of the Grand Moy Yat Sang Clan of Rio de Janeiro can understand more about "Martial Intelligence applied to Self Defense" at the seminar with Master Leonardo Reis (photo), my Si Hing. The seminar will be next Saturday 09h 11h. For more information just send an email to: moyfatlei.myvt@gmail.com

The Disciple of Master Julio Camacho
Thiago Pereira "Moy Fat Lei"
moyfatlei.myvt@gmail.com

No comments:

Post a Comment