ONDE PRATICAR

ONDE PRATICAR
Clique na imagem e conheça os Nucleos da Moy Yat Ving Tsun no Rio

Friday, March 11, 2016

The day I joined Kung Fu Family (o dia em que entrei na Família Kung Fu)



Quando se é do Rio de Janeiro e a imagem desta empresa de ônibus aparece em algum lugar , logo surgem piadas sobre a fama de usar muita velocidade em seu trajeto. Este ônibus, chamado de "Caxias" por fazer um trajeto inter-municipal também era a linha que pegava entre Jacarepaguá e Rocha Miranda quando na adolescência ia visitar meus avós nos anos 90, ou simplesmente rever meus amigos de infância. 
Uma viagem em especial porém, me marcou:Usando a antiga camisa preta com a logo verde da Moy Yat Ving Tsun entrei no Caxias saindo de Rocha Miranda após tirar uma foto 3x4 que serviria para minha "carteirinha" que seria colocada no painel do Núcleo Jacarepaguá.
Havia "ensaiado" o Siu Nim Do muitas vezes pois queria ter uma grande performance naquela noite que seria a minha entrada na Família Kung Fu.  
Eu ainda entendia que tudo se tratava de uma "avaliação" ou "exame" , e por isso eu não deveria falhar. 
O que chamamos hoje de "Ving Tsun Experience", na época durava apenas um mês no máximo, e eu queria o quanto antes avançar para o Sistema Tradicional. "Entrar para a Família" naquela época era apenas um procedimento para mim. 


When you live in Rio de Janeiro and the image of the bus company above appears somewhere, soon emerge jokes about they be reputed to use a lot of speed in its way. This bus is called "Caxias" because it is from this city and goes all the way untill Rio. It was also the line that I used to take between my neighborhood in the west zone Jacarepagua and Rocha Miranda in the north zone of Rio when I was a teenager and I used to visit my grandparents in the '90s, or simply review my childhood friends.
A trip in particular however was remarkable to me: Using the old black shirt with green logo of the Moy Yat Ving Tsun, I got in Caxias leaving Rocha Miranda after taking a photo 3x4 that would suit my "member-card" that would be placed in the old MYVT Jacarepagua School panel .
I practiced the  Siu Nim Do form many times because I wanted to have a great performance that night would be that also would be my entry in Kung Fu Family.
I  could just saw that as only   a "review" or "examination", and so I should not fail.
 I wanted as soon as possible move to the Traditional System. "Joining the Family" at that time was just a procedure to me.
Minha entrada na Família Kung Fu
When I entered the Kung Fu Family

Meu "apresentador" ("Gaai Siu Yan) foi o meu Si Suk, Mestre Ricardo Queiroz (de branco ao fundo), e na foto acima, eu entrego um Hung Baau (Envelope Vermelho) para Si Fu. Eu tinha apenas 15 anos, e não entendia bem a função do Hung Baau. Com os anos, pude entender que o Hung Baau que você entrega , formalmente, tem dentre outras coisas, a possibilidade de "pagar pelo trabalho que seu Si Fu terá com você" .  - O problema é: Como mensurar isso? Se naquele momento eu pudesse projetar todo o trabalho que dei e continuo dando ao Si Fu, eu não teria condições de entregar um Hung Baau.
Por isso, que essa entrega é simbólica, porém, deve ser compreendida o quanto antes. Para que possamos entender a entrega do Hung Baau como um dispositivo para o desenvolvimento do Kung Fu do praticante.
E ao mesmo tempo, me vem mais uma vez à cabeça as palavras que me chegaram de Si Taai Gung Moy Yat: "Você nunca vai conseguir entregar uma quantidade de Hung Baau suficiente pelo que seu Si Fu fez por você." - Naquela noite eu não tinha a mínima condição de entender essa fala. Hoje eu tenho... Mas ainda não muito..rs

My "Introducer" ( "Gai Siu Yan) was my Si Suk, Master Ricardo Queiroz (wearing white in the background), in the picture above, I give one Hung baau (Red Envelope) to Si Fu. I was only 15, and did not understand the function of Hung baau.  Over the years, I understand that Hung baau you give formally has among other things, the possibility of "pay for the work that your Si Fu will have with you." -. the problem is: How to measure it if at that moment I could not reach all the work I have given and continue giving to Si Fu? I would not be able to give a Hung baau.
So that delivery is symbolic, however, must be understood as soon as possible. In order to understand the delivery of Hung baau as a device for the development of Kung Fu of the practitioner.
At the same time, I once again comes to mind the words that reached me by Si Taai Gung Moy Yat: "You will never be able to give a quantity of Hung baau enough to pay everything you Si Fu has done for you." - That night I did not have the minimum condition to understand this speech. Today I have ... But still not much... 
(Si Fu observa o "Tong Jong" que recebi de presente de minha irmã Kung Fu , 
Paula Gama, em meu aniverário celebrado no Mo Gun)
(Si Fu happy with the present given to me 
by Paula Gama at my b-day at Mo Gun)

Quando praticamos Siu Nim Tau, conseguimos enxergar 180º a nossa frente. Essa parte "clara" do Siu Nim Tau , mas existe todos os outros 180º atrás de nós que não enxergamos. Uma parte "escura" que complementa a clara, mas que desconsideramos como parte do todo.
Estou dizendo isso, porque muito do cuidado que o Si Fu teve comigo nesses anos e que eu percebi, foi apenas o cuidado da parte "clara", a que eu pude ver. Muito mais, foi imperceptível para mim, o que não significa que não existiu, mas que estava apenas numa parte "escura".
O bom de se conviver ao longo dos anos, é dar tempo para que o ciclo mude, e o que estava no escuro venha para a claridade. E que você consiga perceber, quem sabe anos depois, a atenção cuidadosa que seu Si Fu sempre teve com você. Pelo menos é o meu caso...  Ou talvez não seja tão épico assim... Talvez você apenas tenha sido "Burrinho" para entender... Bom.. Parece que esse também pode ser o meu caso..rs

When we practice Siu Nim Tau, we see 180º . This part is the 'bright" one. of the  Siu Nim Tau, but there is all the other 180º behind us we can not see. A "dark part" that complements the "Bright", but we often dont see it  as part of the whole.
I am saying this because so much care that Si Fu had to me these years and I realized it was just the "Bright" part of the caring  that I could see. Much more, was not noticeable to me, which does not mean it did not exist, but that was just in the "dark"..
Good to live with Si Fu over the years, is to give time for the cycle change, and what was in the dark comes to light. And you can understand, perhaps years later, the careful attention that yoour Si Fu always had with you. At least in my case ... Or maybe not as epic as well ... Maybe you have just been "stupid" to understand ... Well .. It seems that this can also be my case...lol
Na foto podemos observar o momento em que faço o "Siu Nim Do" antes de ser aceito na Família. Si Suk Queiroz e Si Fu observam atentamente.
Fiz o melhor que podia, achava que minhas experiências com os "Poom See" do Tae Kwon Do haviam ajudado. E ao final, Si Fu comentou: "Siu Nim Do muito bem feito!" - Dentro de mim senti o regojizo que foi imediatamente interrompido quando Si Fu completou: "Muito bom Queiroz, parabéns!" .
Eu realmente não consegui entender porque ele estava parabenizando Si Suk Queiroz se era eu quem tinha executado. Pra ser bem sincero, lembro que na época também passou pela minha cabeça que a participação dele nem tinha sido tão importante..rs E apenas meu "treino intensivo" que durou até aquela tarde no quintal da minha avó tinha sido eficaz.

In the picture we can see the moment of "Siu Nim Do" before being accepted in the Family. Si Suk Queiroz and Si Fu observe carefully.
I did the best I could, thought my experiences with "Poom See" from Tae Kwon Do had helped. And at the end, Si Fu said: "Siu Nim Do very well done!" - Inside me I felt the rejoicing that was stopped immediately when Si Fu added: "Very good Queiroz, congratulations!" .
I really could not understand why he was congratulating Si Suk Queiroz since  I was the one who had run it. To be honest, I remember that at the time also crossed my mind that his participation was not as important..lol And just my "intensive training" which lasted until the afternoon in the backyard of my grandmother had been effective.
(Foto do primeiro grupo coordenado por mim no Méier 
por ocasião da primeira visita oficial de Si Fu ao recinto)
(Photo of the first group I taught in Meier when Si Fu made his first visit )


Apenas anos depois (foto) , quando assumi a até então "Unidade Méier", que funcionava dentro de uma escola de Dança . Pude perceber que absolutamente tudo que eu propunha como mobilização nas práticas, vinha de alguma lembrança de algum momento com Si Fu : Fosse uma analogia, uma história, etc... Uma habilidade que a técnica não alcança. E com isso, se alguém me visse e achasse bom o que estava sendo feito, daria os parabéns ao Si Fu e não a mim..rs Mas eu entenderia dessa vez.
Por isso, compreendi quando Si Fu me chamou a atenção uma vez, após eu antes de demonstrar um movimento dizer "Olha, faz tempo que não faço isso hein!" - Si Fu disse: "Você nunca deve se desculpar pelo seu Kung Fu. É o que você tem naquele momento, você precisa bancar..."

Only years later (photo), when I took a place to teach in Meier, which operated within a school dance. I realized that absolutely everything that I proposed as mobilization practices, came from some memory of some time with Si Fu:  An analogy, a story, etc ... An ability that the technique does not reach. And with that, if someone saw me and thought good about what was being done, would congratulate Si Fu and not me..lol But I would understand this time.
So, I understood when Si Fu call me once after I before demonstrating a movement said "Look, I did not do that for a long time right?" - Si Fu said: "You should never apologize for your Kung Fu is what you have at that moment, you need to play honestly ...."
Si Fu me conduziu ao antigo painel de membros(foto) no qual prendi minha foto como um membro da Família Kung Fu. E ele disse para mim duas coisas que já escrevi aqui algumas centenas de vezes: "Cada praticante que entra na Família Kung Fu, tem o poder de mudar a sua história. Nunca se esqueça disso." - Si Fu falou outras coisas, mas só consigo me lembrar do que disse por último: "Espero que sua entrada não seja por acaso".

Si Fu led me to the former panel of members (photo) in which held my photo as a member of  Kung Fu Family. And he said to me two things I have written here a few hundred times: "Every practitioner who enters the Kung Fu Family, has the power to change its story. Never forget that.." - Si Fu said other things, but I can only remember what he said last: "I hope that this moment is not by chance."

Tiramos algumas fotos de registro e estava encerrado. Eu mal podia acreditar! Tudo tinha durado cerca de 40 minutos. Algo devia estar errado!
Na época , eu não pude compreender que qualquer marco dentro da jornada de um praticante, são momentos que acontecem antes, durante e depois. Mais uma vez falando em "claro" e "escuro", só conseguimos enxergar a parte do processo que está na claridade, geralmente o "durante" ou "Trans-evento".  Por isso reclamamos de receber o canudo vazio na formatura da faculdade, porque não entendemos o símbolo. Não nos lembramos do que vivemos para estar ali, nem valorizamos aqueles que nos ajudaram, e nem nos preocupamos com o fato de que quando acabar a formatura, seremos mais um grupo de desempregados na área.

We took some photos and finish! I could hardly believe it! It lasted about 40 minutes. Something must be wrong!
At the time, I could not understand that any landmark in the journey of a practitioner,are  moments that happen before, during and after. Again speaking of "bright" and "dark", we can only see the part of the process that is in the light, usually the during the event itself or "Trans-event." 
(A clássica foto fazendo o Siu NiM Do na minha Cerimônia de Admissão observado por Si Suk Ursula, que se tornaria a primeira Mestra de Ving Tsun da International Moy Yat Ving Tsun Federation no mundo todo.  )

(A classic photo making Siu nim Do in my admission ceremony to Kung Fu Family observed by Si Suk Ursula, who would become the first Master of Ving Tsun by International Moy Yat Ving Tsun Federation worldwide.)
Por isso, em conversa com Si Gung (foto) junto de meu irmão Kung Fu Fabiosa a respeito do ultimo evento que aconteceu no Rio , ele nos disse algo muito importante: "Existe um provérbio chinês que diz: 'Um dia, uma vida' . Se nós entendermos realmente os processos que vivemos, conseguirmos enxergar as oportunidade que perdemos o tempo todo... Um dia é o suficiente. Não precisa de mais... Um dia, uma vida..."

Therefore, in conversation with Si Gung (photo) with my  Kung Fu brother  Fabiosa about the last event held in Rio, he told us something very important: "There is a Chinese proverb that says: 'One day, one life' . If we really understand the processes that we live, we can see the opportunities that we have lost all the time ... One day is enough. you do not need more ... One day... One  life ... "



The Disciple of Master Julio Camacho
Thiago Pereira "Moy Fat Lei"
moyfatlei.myvt@gmail.com

No comments:

Post a Comment