ONDE PRATICAR

ONDE PRATICAR
Clique na imagem e conheça os Nucleos da Moy Yat Ving Tsun no Rio

Sunday, September 22, 2013

MO GUN ALL STARS: LEO REIS ENTREVISTA! (INTERVIEW!)

Hoje temos o prazer de retornar com um dos quadros mais queridos do Blog! O "Mo Gun All Stars" !
Aqui você pode conhecer um pouco mais sobre os praticantes do nosso Clã, a fim de que possa se inspirar com suas histórias, e descobrir que você pode não estar sozinho quando se trata dos seus medos, duvidas e inseguranças....

Today we are pleased to return with one of the most beloved columns of the blog! The "Mo Gun All Stars"!

Here you can learn a little more about the practitioners of our clan, so you can be inspired by their stories, and find that you are not alone when it comes to your fears, doubts and insecurities ....
Para começar , temos uma entrevista imperdível com o Daai Si Hing da Família Moy Jo Lei Ou: Leonardo Reis! O praticante que inspira seus irmãos kung fu, com sua facilidade fora do comum com os movimentos e dispositivos em nossa arte.
Conversar com Si Hing Leonardo Reis sobre a parte prática, é ter uma oportunidade de pensar: "Eu poderia estar praticando mais..."  Devido ao seu esclarecimento em cada palavra sobre o tema...

To begin, we must see an interview with the Daai Si Hing of our Kung Fu Family: Leonardo Reis! The practitioner who inspires his kung fu brothers, with his outstanding skills with movements and devices in our art.
Talk with Si Hing Leonardo Reis on the techniques issues is to have a chance to think, "I could be practicing more ..." Because of his enlightenment on every word on the subject ...
(Si Hing Leo pratica com Si Sok Diego durante seminário histórico sobre "Lap Sau". Conteúdo do Siu Nim Tau em 2004, no antigo Núcleo Jacarepaguá).
(Si Hing Leo practicing with Si Sok Diego during the historical  seminar on "Lap Sau." A content of Siu Nim Tau in 2004 at the old Jacarepagua MYVT School).

Sem mais delongas, vamos a entrevista!  LEONARDO REIS "MOY LEI WONG"

BLOG DO PEREIRA: SIHING, poderia falar um pouco sobre você? Nome, profissão,filhos,esposa...

Leo Reis: Meu nome é Leonardo Santos dos Reis, popularmente conhecido no Mo Gun por Leo Reis. Meu nome kung-fu é Moy Lei Wong. Sou casado há mais de 15 anos. Minha amada esposa se chama Cátia e temos dois filhos, Lucas  e Luana. Profissionalmente sou sócio de uma empresa (www.empresafacil.com.br) de software para automação de negócios, que fundei em 1995

No more wasted time!Let the interview begin! LEONARDO REIS "MOY LEI WONG"

BLOG DO PEREIRA: Si hing, tell us a little about yourself? Name, profession, children, wife ...

Leo Reis: My name is Leonardo Santos dos Reis, popularly known in Mo Gun by Leo Reis. My kung-fu  name is Moy Lei Wong. I am married for over 15 years. My beloved wife is called Catia and we have two kids: Lucas and Luana. Professionally I am a partner in a company (www.empresafacil.com.br) of software for business automation, which I founded in 1995
(Durante bate-papo com Si Gung em 2005, Si Hing olha atentamente ["atentamente" demais até..rs] com sua esposa Cátia Reis de preto atrás dele no primeiro Mo Gun que tivemos na Barra)

(Si Hing´s deep look to Si gung with his wife behind him during a talk with Si Gung in 2005. At the first MYVT School in Barra neighborhood)

(Luana Reis, filha do Daai Si Hing, e Jade Camacho, filha de Si fu em 2005.Nível de fofura: OVER 9000!)

(The Si Hing´s daughter: Luana. Also, Jade Camacho, Si Fu´s daughter in 2005! Cuteness over 9000!)
(Durante intervalo de um evento com Si Gung em 2005. Lucas Reis, hoje membro da Familia Moy Jo Lei Ou, assim como sua irmã, posa com Si Fu) 
(During a break at a seminar with Si Gung in 2005. Lucas Reis , today a member of our Family: 
Moy Jo Lei Ou, as his sister, poses with Si Fu)

BLOG DO PEREIRA: Você já praticou alguma arte marcial antes do Ving Tsun? Quais?

Leo Reis:Pratico artes marciais desde os 8 anos de idade. Comecei, como toda criança da época com o Judô (como eu era bem gordinho e bem mais pesado que meus amiguinhos me dava super bem!). Depois, inspirado pelos filmes “faixa preta” que eram exibidos nas noites de terça na Rede Globo me apaixonei pelo kung-fu e comecei a treinar Karatê Shotokan, que foi o que achei pra treinar perto de casa (o engraçado que o professor insistia em “fingir” que era a mesma coisa que eu assistia na tv). Depois de algum tempo abriu uma academia com Shaolin do Norte próximo a minha residência e finalmente fui iniciado nas artes chinesas. Depois disso treinei vários outros estilos de kung-fu, como Tai Chi. Pa kua e Garra de Águia, além de outras artes como Aikidô, Jodô e Tae Kwon Do. Até “Wing Chun” em outra “família” cheguei a praticar um pouco.

BLOG DO PEREIRA: Did you practice any martial art before the Ving Tsun? Which ones?

Leo Reis: I practice martial arts since the age of 8. I started, like every child of the time in Brazil with Judo (as I was quite chubby and a lot heavier than my buddies, I did great!). Then, inspired by the movie session "Black Belt" that were shown on Tuesday nights on Globo TV. I fell in love with kung-fu and started training Shotokan Karate, which was what I found to train close to home (funny that the teacher insisted on "pretend" it was the same thing I watched on tv). After some time a gym with Northern Shaolin came near my house and I was finally initiated in Chinese arts. After that I trained several other styles of kung-fu, such as Tai Chi. Pa kua and Eagle Claw, and other arts like Aikido, Jodo and Tae Kwon Do. Until "Wing Chun" in another "family" I practiced a bit.
(Si Hing Leo chega de voadora durante evento com as crianças: Hoje quase adultos!rs Em 2009)
(Si hing´s flying kick! Children´s seminar in 2009!)

(Falando em crianças, durante quase 3 anos, o Daai Si Hing era reponsável pela prática com as crianças. Que inclua seus dois filhos nas dependências do Núcleo Barra)
(For almost 3 years, Si Hing leaded the children´s practice at MYVT Barra school! His two kids were also in that classes.)

BLOG DO PEREIRA: Poderia falar um pouco de seu trabalho que começou junto a Si sok Fernanda Neves com as crianças no Siu Ye Kuen aos Sábados?

Leo Reis:Nosso objetivo é utilizar o Ving Tsun como meio de desenvolvimento global das crianças, nos aspectos físico, emocional, intelectual e cultural. Daí o termo "Siu Ye Kuen", que pode ser traduzido como "arte marcial dos jovens senhores".
A grande diferença desse trabalho quando comparado com o sistema tradicional aplicado aos mais velhos, é que apesar dos nossos “jovens senhores” serem inicialmente menos amadurecidos nos campos mencionados, como contrapartida temos um terreno muito mais fértil para plantarmos.
Isso aumenta em muito nossa responsabilidade, pois temos de plantar as sementes certas, regá-las no tempo correto e direcionar os ramos que nascem todos os dias para o caminho correto.
É um desafio enorme, mas felizmente além da Si sok Fernanda, pude contar com os talentos de outros irmãos kung-fu, como você mesmo, Felipe Soares, Thiago Silva e Carlos Antunes, só para citar os mais “assíduos”.
Estamos sempre observando o que acontece e aprendendo em cada sessão, de forma que nossos dedos ficam cada vez mais verdes e nossas árvores cada vez mais frondosas.

BLOG DO PEREIRA: Could you talk a little bit about your work that began with the support  of Si sok Fernanda Neves with children in Siu Ye Kuen on Saturdays?

Leo Reis: Our goal is to use the Ving Tsun as a means of overall development of children in physical, emotional, intellectual and cultural way. Thats why  the term "Siu Ye Kuen" which can be translated as "martial art of the young lords"
The major difference of this work when compared to the traditional system applied to older, is that despite our "young lords" were initially less mature fields mentioned, in return we have a much more fertile ground to plant.
This greatly increases our responsibility because we need to plant the right seeds, water them at the correct time and direct branches are born every day to the correct path.
It is a huge challenge, but fortunately beyond Si sok Fernanda, I could rely on the talents of other kung fu brothers, like yourself, Felipe Soares, Thiago Silva and Carlos Antunes, just to name the most "regulars".
We are always watching and learning what happens in each session, so our fingers are becoming greener and we are increasingly shady trees.
(Si Hing Leo Reis é muito antigo, como vemos nessa foto de Cerimônia realizada no antigo Núcleo Centro. Começou em 1998 e teve a oportunidade de praticar com os jovens Fabio Gomes e Ursula Lima, nossos Si Sok e hoje Mestres qualificados. Também vemos nessa foto, algumas figuras lendárias como: Si Sok Monique, Si Sok Paulinho e João Castellani)

(Si Hing Leo Reis is very old in kung fu family, as we see in this photo of a Ceremony held at the old MYVT Downtown School. He Began in 1998 and had the opportunity to practice with the young Fabio Gomes and Ursula Lima, our Si Sok and qualified Masters today. Also we see in that picture, some legendary figures such as Si Sok Monique, Si Sok Paulinho and Joao Castellani)

BLOG DO PEREIRA: Você lembra dos seus objetivos quando ingressou na Familia?Hoje eles mudaram?

Leo Reis: Lembro-me bem do dia em que apresentei meus objetivos ao Si fu. Tinha acabado de assistir a um campeonato em que eu presenciei formas muito bonitas e artísticas, seguidas de umas lutas no melhor estilo “kickbox” que nada tinham a ver com a apresentação das formas. Tive certeza na hora que “os caras” treinavam uma coisa e aplicavam outra. Embora isso não se aplicasse diretamente a mim (se tivesse que lutar usava o kung-fu que tinha na época sem sombra de dúvidas) cheguei comentando isso, em tom meio indignado, com Si fu e que queria coerência entre a prática e a luta efetiva. Resumidamente meu único objetivo era lutar maravilhosamente bem, como nos filmes de minha infância.
Atualmente vejo que a luta por si só é até bastante divertida (pelo menos para mim), mas é apenas uma parcela mínima do que o Ving Tsun pode oferecer. Há alguns anos se eu tivesse entrado em uma briga e tivesse apanhado, ficaria muito frustado e provavelmente acharia que todo meu treinamento teria sido uma total perda de tempo. Hoje não penso assim, pois o VingTsun me dá muito mais que a capacidade de vencer uma luta (e olha que ele me dá isso em uma amplitude que jamais poderia imaginar), portanto se tomasse uma surra ficaria certamente um pouco desapontado, mas jamais arrependido.
Para concluir, vou fazer um comentário que fiz algumas vezes no Mo Gun: Quando entrei, queria um filme de ação, em um cenário de artes marciais com pitadas de filosofia e cultura oriental, hoje aprecio cada vez mais o filme filosófico e cultural, mas com ótimas cenas de “ação kung-fu”.

BLOG DO PEREIRA: Do you remember your goals when you joined the Family? Now they have changed?

Leo Reis: I remember well the day I presented my goals to Si fu. I had just finished watching a championship in which I witnessed very beautiful and artistic forms, followed by some fights in the best "kickboxe" style  which had nothing to do with the presentation of forms. I knew at the time that "the guys" trained one thing and applied another. Although this did not apply directly to me (if I had to fight I'd use the kung-fu that I had at the time with no doubt) got talking about it, in a tone half indignant with Si fu and wanted consistency between practice and effective struggle. Briefly my only goal was to fight wonderfully well, as in the movies of my childhood.
Currently I see that the fight itself is even quite fun (at least for me), but it is just a tiny fraction that Ving Tsun can offer. A few years ago if I had stepped into a fight and had caught, I would be very frustrated and would probably find that all my training would have been a total waste of time. Today I do not think so, because  VingTsun gives me much more than the ability to win a fight (and looks it gives me this in a range that I could ever imagine), so it would certainly take a beating a little disappointed, but never repented .
To conclude, I will make a comment I made a few times in Mo Gun: When I joined, I wanted an action movie, in a scenario with a touch of martial arts philosophy and oriental culture, now increasingly I appreciate a philosophical and cultural movie, but with great action scenes.

(Na verdade, Si Hing era membro da Família Moy Yat Sang. Mas devido a relação desenvolvida com Si Fu, requisitou formalmente que pudesse ser admitido na Familia Moy Jo Lei Ou. Um momento eternizado na foto acima. Manobra esta, aceita no Mo Lam.)

(Actually, Si Hing was a member of the Moy Yat Sang Family. But because the relationship developed with Si Fu,he formally requested to be admitted to the  Moy Jo Lei Ou Family. A moment immortalized in the photo above. Maneuver that is accepted in the Mo Lam .)

BLOG DO PEREIRA: Você é o Daai Si hing da Família Moy Jo Lei Ou, como você enxerga essa sua condição?

Leo Reis: Como diria o Homem Aranha: "Com grandes poderes vem grandes responsabilidades". Procuro honrar ao máximo esse título, o qual tive o grande privilégio de receber, dando, dentro das minhas características pessoais, o que há de melhor de mim para com meus irmãos kung-fu e obviamente com o próprio Si fu. Para mim é um grande orgulho ser seu primeiro discípulo e fazer parte da história de um mestre que já escreveu seu nome na História do Ving Tsun. Vou continuar trabalhando para que ao longo dos anos essa escolha tenha realmente um saldo positivo e faça diferença na família Moy Jo Lei Ou.

BLOG DO PEREIRA: You are the Daai Si Hing of Moy Jo Lei Ou Family, how do you see this condition?

Leo Reis: How Spider Man would say: "With great power comes great responsibility." Seeking to honor the most of that title, which I had the great privilege of receiving. Giving, within my personal characteristics, what's best in me to my kung-fu brothers and obviously to Si fu. To me it is a great pride to be his first disciple and be part of the history of a master who has written his name in the History of Ving Tsun. I'll keep working on it over the years, so that choice can have a positive balance and really make a difference in the Moy Jo Lei Ou Family.
(Então, 2 meses depois, Si Hing se torna discípulo de Si Fu. O primeiro de sua Familia Kung Fu. Na data, Si Hing ganhou o nome "Moy Lei Wong". "Lei" quer dizer "vantagem", mas é um trocadilho também com "Leo". "Wong", também quer dizer "Rei", uma referência a seu sobrenome. Mas estas são apenas suposições, você terá que perguntar a ele..rs  Nas letras pequenas, temos a data, além da inscrição: "Discipulo numero 1 da Familia Moy Jo Lei Ou")

(Then, two months later, Si Hing becomes disciple of Si Fu. Their First on in his Kung Fu Family. On the date, Si Hing earned the name "Moy Lei Wong." "Lei" also means "advantage", but it is a also quibble with "Leo". "Wong", also means "King", a reference to his surname "Reis", wich in portuguese means "Kings". But these are just guesses, you'll have to ask him .. hehe The small characters,  besides the registration says : "number one disciple of Moy Jo Lei Ou Family")

BLOG DO PEREIRA: Como você vê a sua relação com seu Si fu?

Leo Reis: Si fu é uma pessoa muito especial, com uma habilidade de se relacionar maravilhosamente bem com pessoas dos mais diversos perfis. Acho que nossa uma relação que evolui a cada dia e que flui com total naturalidade, num aprendizado continuo e intenso. Espero que ele também aprecie nosso relacionamento pois tudo indica que ele vai ter que me aturar a vida toda.

BLOG DO PEREIRA: How do you see your relationship with your Si fu?

Leo Reis: Si fu is a very special person, with an ability to relate wonderfully well with people of diverse profiles. I think our relationship evolves every day and flows naturally, in a continuous intense learning. I hope he will enjoy our relationship because everything indicates that he will have to put up with me all my life.
(Si Fu conversa com Daai Si Hing e sua esposa, após sua Cerimônia de Baai Si durante jantar de celebração)
(After the Baai Si Ceremony, Daai Si Hing and his wife , Catia, talks with Si Fu at a chinese restaurant)

BLOG DO PEREIRA:Qual foi a sua maior dificuldade como praticante no início?

Leo Reis: O Siu Nim Tau foi um nível muito tranqüilo. Eu cheguei em uma época em que a família estava reduzindo o tempo de permanência nos níveis e com a experiência corporal que já possuía, conclui o nível em tempo recorde.
Foi então que veio o Cham Kiu. Eu me lembro até hoje de sair do treinamento todas as vezes com dor de cabeça, pois fazia um esforço mental descomunal para coordenar os membros, tanto na forma como no Chi Sau, quase sempre sem sucesso . Não sabia o que era pior, se minha forma desengonçada ou o meu Chi Sau descoordenado.
Mas acho que o principal desafio era de como me enxergar, me encontrar e participar verdadeiramente da família kung-fu.

BLOG DO PEREIRA: What was your most difficult moment in the beginning as a practitioner?

Leo Reis: Siu Nim Tau was very easy. I arrived at a time when the family was reducing the time spent in the  levels and with the body experience which I had already , I concluded the level in record time.
Then came the Cham Kiu. I remember to this day, When I went out of the training sessions all times with headache since made ​​an enormous mental effort to coordinate members, both in form and Chi Sau, almost always without success. I did not know what was worse, if my form or my gangly uncoordinated Chi Sau.
But I think the main challenge was to see myself, find myself and truly participate in kung-fu family.
(Aqui, apareço entre Si Hing e Marcelo durante evento de Si Gung em 2005. Era uma manhã de Domingo e tomavamos café da manhã)

(Here, is me [long hair!] between Daai Si Hing and Marcelo in 2005. During a breakfast on Sunday morning)
(Café-da-manhã em 2003, quando a Família se reuniu no antigo Núcleo Jacarepaguá para uma reunião de gestão. Os presentes estavam divididos em grupos. Na foto da esquerda para direita: Cris Chaves, Si Hing, Si Sok Felipe e Si Sok Diego.)

(At the old MYVT Jacarepagua School, we can see from left to right: Cris Chaves, Daai Si Hing, Si Sok Felipe Soares and Si Sok Diego Guadelupe. It was during an administration meeting for the Mo Gun wellness)
(Em 2007, Si Hing esteve no aniversário de Si Taai Po Helen, que aconteceu no interior de SP. Aqui ele aparece com Si Baak Gung Pete Pajil)

(In 2007, when Si Taai Po Helen Moy, celebrated her birthday in Brazil. Daai Si hing was there. Here he appears by  the legendary Si Baak Gung Pete´s side. Great moment!)
( Si Hing pratica com o querido Si Sok Navarro, Mestre Qualificado e diretor da Moy Yat Ving Tsun Madrid, observado por Si Gung em 2010 no primeiro Mo Gun na Barra)

(Si Hing practices with the dear Si Sok Navarro, Qualified Master and head of the Madrid(SPA) school of Moy Yat Ving Tsun in 2010. Si Gung wacthes them)


BLOG DO PEREIRA: Você já teve que usar o Ving Tsun fisicamente fora dos treinos?Como foi?

Leo Reis: Uso Ving Tsun diariamente no meu trabalho, na educação dos meus filhos, em meus relacionamentos. Até em outras atividades físicas eu evolui bastante, mesmo praticando-as quase nunca. Como atacante no futebol, por exemplo, eu melhorei bastante (eu era horrível e agora sou só muito ruim). Enfim ele realmente norteia plenamente meu dia-a-dia.
Em termos de luta nunca utilizei e espero nunca ser incompetente o suficiente para ter de utilizar. Mas uma vez utilizei minhas habilidades de "chi geuk" para salvar minha filha de se bater muito feio de cabeça no chão. Ela tinha uns dois anos, ou um pouco menos, e se jogou pra trás de cima da cama de cabeça no chão. Eu estava deitado na cama e rapidamente lancei a perna “aderindo” ao pescoço dela e lancei-a de “cara” de volta na cama. Ela não se machucou, não chorou e nem ficou assustada, ou seja, operação realizada com sucesso! Desculpe mais foi o mais próximo do “já teve que usar o Ving Tsun fisicamente fora dos treinos” que consegui me lembrar ....

BLOG DO PEREIRA: Have you ever had to use Ving Tsun physically outside the training? how was it?

Leo Reis: I use Ving Tsun daily in my work, in the education of my children, in my relationships. Even in other physical activities. I evolves quite even practicing them almost never. As a striker in soccer, for example, I've improved a lot (I was horrible and now I'm just really bad). Anyway it really fully guided my day-to-day.
In terms of struggle and I hope never be incompetent enough to have to use it. But once I used my skills of "chi geuk"(Stick Legs) to save my daughter when she almost hit her head very hard on the ground. She had a couple of years, or a little less, and threw herself backwards off the bed upside down. I was lying in bed and quickly threw my leg "sticking" to her neck and threw her "face" back on the bed. She was not hurt, did not cry and was not scared, the operation was very successfully! Sorry , But this was the closest to "ever had to use the Ving Tsun physically out of practice" that I could remember ....
(Em 2005, Si Gung controla Si Sok Diego durante demonstração, observado por Daai Si Hing)

(In 2005, Si Gung controls Si Sok Diego during a demonstration, Daai Si Hing watches)

BLOG DO PEREIRA: De todos estes anos, consegue lembrar de algum fato marcante,engraçado? Quais?

Leo Reis: Vou falar da minha “apresentação individualizada” feita pessoalmente pelo Si fu.
Na realidade não foi tão individualizada pois levei meu sócio Artur junto comigo e portanto éramos dois para conhecermos o Ving Tsun.
A apresentação foi um verdadeiro show e me lembro de três momentos que ficaram marcados na minha memória até hoje.
No primeiro Si fu tocou em um ponto próximo a meu ombro e me pediu para que eu protegesse essa área, pois ele iria tentar atingi-lo. Seria fácil com toda minha experiência em artes marciais. Não defendi um golpe sequer.
Impressionado pela derrota física, Si fu comentou sobre pessoas que passam anos fazendo exercícios respiratórios (conhecidos como Hei Kung) para desenvolver habilidades sobre-humanas, entre elas a de “enraizamento”. Fizemos um teste de tentar manter o pé no chão, sem sucesso. Segundos depois, após uma brevíssima explicação, os pés do Artur pareciam colados no chão(ao lado do meu queixo que havia caído por lá) .
Para terminar Si fu dividiu um quadro branco em quatro setores e perguntou em qual quadrante escolheríamos golpear. Mal tinha escolhido, ele me perguntou se seria no de número 3. Assustado, assenti com a cabeça enquanto o Artur falava que tinha escolhido esse mesmo setor. Teríamos sido vítimas de alguma técnica secreta de hipnose chinesa?
Artur no dia seguinte, muito entusiasmado comprou o livro “A Arte da Guerra” e demonstrou em casa, com orgulho, as técnicas de enraizamento adquiridas em “anos” de treinamento. Apesar da empolgação ele nunca entrou para nossa escola, provavelmente desmotivado ao não do Si fu à pergunta “Ving Tsun emagrece?”.
Quanto a mim, precisava descobrir o que tinha acontecido naquele mágico dia. Estou tentando até hoje ...

BLOG DO PEREIRA: In all these years in the Family,Do you can remember a remarkable funny moment? What?

Leo Reis: I'll talk about my first visit when I met ​​personally Si fu.
Actually  I took my partner with me ,Arthur, so we were two to know the Ving Tsun.
The talk with Si Fu was a real show and I remember three moments that were marked in my memory to this day.
In the first moment Si fu touched a point close to my shoulder and asked me to protect this area because he would try to hit it. It would be easy with all my experience in martial arts. But I could not do it.
Impressed by the physical defeat, Si fu said about people who spend years doing breathing exercises (known as Hei Kung) to develop superhuman abilities, including "rooting". We did a test to try to keep the foot on the ground, without success. Seconds later, after a very brief explanation, Arthur's feet seemed glued to the floor (next to my chin that was down there too).
To finish, Si fu shared a whiteboard in four sectors and asked what quadrant would I choose to strike. I Hardly had chosen, he asked me if it would be the number 3. Startled, nodded while Arthur spoke he had chosen the same sector.Would we have been victims of some secret technique of chinese hypnosis?
Arthur the next day, very impressed bought the book "The Art of War" and demonstrated at home, proudly, rooting techniques acquired in "years" of training. Despite the excitement he never came to our school, probably not unmotivated to Si fu to the question "Ving Tsun get you in shape?".
As for me, I needed to find out what had happened that magic day. I'm trying untill now ...
(Si Fu "ataca" Si Hing com uma de suas muletas...rs Si Hing as aborda usando o Do)
(Si Fu attacks Si Hing using crutches..lol Si Hing defends himself with the Do)
(Si Hing Leo me observa em 2011 na posição de membro mais antigo de nossa Família, durante a inauguração do antigo Núcleo Recreio. Onde ficamos por 2 anos. Ao fundo, Si Gung e Si Taai)

(Si Hing watches me during the Grand-Openning of the old MYVT Recreio School in Rio where we stayed for two years. Si Gung and Si Taai watches.)


BLOG DO PEREIRA:Das artes que praticou antes de encontrar a Moy Yat Ving Tsun. Por que não prosseguiu com elas?

Leo Reis:Algumas pratiquei por alguns anos (acho que nenhuma mais de dois) e outras por alguns meses, mas embora tenha gostado de praticar todas elas, sempre havia um momento em que eu decidia “dar uma paradinha para voltar depois”. Só que eu nunca voltava. Sentia sempre que precisava encontrar um lugar que eu realmente me encontrasse.

BLOG DO PEREIRA: From arts you practiced before finding the Moy Yat Ving Tsun. Why did you pursued them?

Leo Reis: Some I practiced for a few years (think no more than two) and other for a few months, but although I liked to practice all of them, there was always a moment when I decided to "take a little break to come back later." Only I never went back. Always felt I needed to find a place that I really found myself.

(Si Hing pratica ao lado de seu filho no antigo Núcleo Recreio observado por Si Gung)
(With his son by his side, Si Hing practices watched by Si gung at the old MYVT Recreio School)

BLOG DO PEREIRA: Como conheceu a Moy Yat Ving Tsun?

Leo Reis: Lia sempre sobre a Moy Yat Ving Tsun na revista Kiai e visitei o antigo Núcleo Jacarepaguá na Tindiba. Assisti a uma apresentação individualizada e fiquei muito impressionado. Mesmo assim fiquei dois anos para retornar, pois achava o local um pouco afastado ...
Quando voltei comecei tendo sessões privativas em casa, pois o Lucas tinha meses de vida, eu achava que trabalhava demais e continuava achando Jacarepaguá muito longe. Si fu aceitou essa minha condição, mas “misteriosamente” começou a ser substituído por um ou outro Si hing, que “misteriosamente” começou a desaparecer também. Dentro de pouco tempo estava freqüentando o Mo Gun e entrando para a família ...

BLOG DO PEREIRA: How did you found Moy Yat Ving Tsun?

Leo Reis: I  always read about Moy Yat Ving Tsun in the Kiai magazines and visited the old MYVT Jacarepagua school . Attended some presentation and was very impressed. Still got two years to return, because I thought the place was a bit away ...
When I returned I began taking private sessions at home because Lucas was just born , I thought it was  too much far away the Mo Gun. Si fu accepted  my condition to teach me at home but "mysteriously" began to be replaced by a Si hing that "mysteriously" began to disappear as well. Within a short time I was attending classes at Mo Gun and joining the family ...
(Si Hing praticando sozinho no Mo Gun)
(Si Hing practices by himself at Mo Gun)

BLOG DO PEREIRA: Sihing,você já pensou em parar de treinar?Por quê?

Leo Reis:Nesses 15 anos, só me afastei realmente duas vezes, por mais ou menos um ano cada vez. Foi no nascimento da minha filha e no falecimento do meu pai. Mas mesmo assim estava convicto que eram apenas pausas necessárias. A única coisa que costumava me incomodar era a questão financeira, mas nunca o suficiente para me levar a pensar em parar de verdade.
Atualmente planejo treinar Ving Tsun até os 108 anos de idade, mas se morrer antes eu paro (pelo menos nesse plano).

BLOG DO PEREIRA: Sihing, have you ever thought about stop training and why?

Leo Reis:In  these 15 years, only really walked away twice, for about one year each time. It was the birth of my daughter and the death of my father. But even then I was convinced that it was only necessary breaks. The only thing that used to bother me was the financial issue, but never enough to get me to stop.
Currently I plan to train Ving Tsun until 108 years old, but if I die before it I will stop (at least in this plan).
(Si Hing mais novo com Si Fu, Carlos Kimick e Eliane)
(With Si fu, Carlos Klimick and Eliane)

BLOG DO PEREIRA: Como você se sente, coordenando o treinamento de seus próprios filhos: Lucas e Luana?

Leo Reis: Sinto-me extasiado. Todo pai gosta que os filhos compartilhem suas mesmas paixões. E quando essa paixão pode ajudá-los, de verdade, a serem pessoas melhores, é realmente indescritível.

BLOG DO PEREIRA:  How do you feel, coordinating the training of your own children: Lucas and Luana?

Leo Reis: I feel ecstatic. Every parent loves their children to share their passions. And when that passion can help them, in fact, be better people, is really indescribable.

(A Família Reis com Si Fu ao final do evento com as crianças em 2009. No primeiro Núcleo Na Barra da Tijuca)

In 2009, the Reis Family with Si Fu at the old School in Barra da Tijuca neighborhood)


(Eu com Si Hing Leo, durante evento com Si Taai Po Helen Moy em 2007, no interior de SP)
(Me with Daai Si hing in Sao paulo in 2007, attending the b-day celeb of Si Taai Po Helen Moy)

BLOG DO PEREIRA: Pode deixar uma mensagem final para todos?

Leo Reis: Se estamos fazendo muito esforço para realizar algo, é por que ainda não conseguimos perceber o caminho fácil. E quase sempre a diferença entre a trilha árdua e a suave, reside não nas grandes coisas, mas sim nos detalhes. Um centímetro, um grau, um minuto, uma palavra, um telefonema, um gesto ou um sorriso podem fazer toda a diferença.

BLOG DO PEREIRA: Can you leave a final message for everyone?

Leo Reis: If you're doing a lot of effort to accomplish something, it is because we are yet to realize the easy way. And almost always the difference between the hard and the soft track, lies not in big things, but in the details. An inch, a degree,  a minute, a word, a phone, a gesture or a smile can make all the difference.


O Blog do Pereira agradece o Si Hing Leo Reis, e aguardem pelo próximo entrevistado em Outubro!
The Blog do Pereira thanks Si hing Leo Reis! Wait for the next interviewed in October!


THE DISCIPLE OF MASTER JULIO CAMACHO
Thiago Pereira, "Moy Faat Lei"
moyfatlei.myvt@gmail.com

No comments:

Post a Comment