ONDE PRATICAR

ONDE PRATICAR
Clique na imagem e conheça os Nucleos da Moy Yat Ving Tsun no Rio

Tuesday, April 5, 2011

NÚCLEO MÉIER: CONTRATO ASSINADO (WILL BE TRANSLATED)

ASSISTA ABAIXO A ABERTURA ESPECIAL DESTE MOMENTO MARCANTE!




CHEGOU A HORA!
Talvez você tenha torcido, talvez no fundo, você achasse que a qualquer momento haveria uma desistência, talvez você só tenha achado que era um sonho grande demais para se perseguir, mas agora nada disso importa mais. Já existe um contrato , o contrato da sala para: MOY YAT VING TSUN NÚCLEO MÉIER!

CAPÍTULO 1: Todos os Caminhos até o Méier.

Na época da faculdade eu fiz uma amiga (foto) que mora no Méier , ali no "baixo Méier".

As vezes caminhávamos juntos na saída da aula e eu cruzava toda a Dias da Cruz.
Eu já praticava Ving Tsun, já estava no Mui Fa Jong, mas nem em sonhos imaginava nada acontecendo ali...





Foi minha Si Mui Marcia Velloso(foto de pé) que anos depois destas minhas caminhadas, apareceu com uma oportunidade de iniciar o trabalho da Moy Yat Ving Tsun no Méier, dentro de sua então escola de Dança, que mais tarde viria com orientação de Si Fu Julio Camacho, a se chamar Espaço Dharma.









É quase impossível esquecer daquele Domingo, no qual Mestra Ursula ainda pegava o jeito no volante, e me levou de carona até o encontro de Si Fu,Si Mo, Thiago Silva,Marcia e da pequena Julia, num local que eu viveria intensamente nos anos seguintes...










Mestra Ursula coordenou aquele primeiro ano que contou com praticantes como : Gustavo Santos,Priscila Borges, Erica, Luiz Evaristo,Felipe Mury e Guilherme Farias.
Dentre dezenas de Apresentações Individualizadas ,sessões e workshops, Mestra Ursula descobriu que estava grávida de sua primeira filha, e a seu pedido e de Si Fu, minha mais emocionante aventura estava prestes a começar...










Capítulo 2: "Você nunca vai saber pq dedicou tanto da sua vida a um sonho,até o dia em q este sonho salvar a sua vida."

Talvez tenha sido amor a primeira vista, mas dentre todo o "Medo" e receio de não ter mais a Si Sok Ursula por perto, uma paz impressionante tomava conta de mim a cada vez que eu sentava naquele pátio antes de mais uma sessão.

E não demorou muito para que um pequeno rapaz, com 7 anos de idade, desse início a todo um processo que mudaria minha vida para sempre...




Thiago Thiers(foto) foi um dos maiores desafios que tive na Unidade Méier.E se não fosse pela ajuda constante de meu Si Dai Guilherme Farias(a quem sou eternamente grato) e claro, com a orientação de Si Fu, teria sido tudo diferente.


Thiago praticou apenas por alguns meses, mas o suficiente para iniciar o trabalho chamado "SIU YE KUEN" , baseado no antigo DMC, de autoria de
Si Taai Vanise Imamura.
Este projeto idealizado por Si Fu, visava que além das atividades lúdicas propostas no projeto original, a criança,ou "Siu ye"(jovem senhor) tivesse contato com a Cultura Chinesa de maneira mais pontual, inclusive através dos ideogramas.




Muita gente não entende porque eu gosto tanto dos irmãos Rodrigo e Raphael(foto). Mas é impossível nao lembrar daquela tarde de Quarta, quando estes dois bem pequenos, apareceram com suas roupas largas de skatista querendo começar o treino.

Ao final, não sabia dizer se tinham gostado, mas a prova de que a resposta era "sim" , viria apenas uma semana depois...





Lucas Eustáquio(foto) apareceu na semana seguinte a convite de Raphael. Sua timidez era aparente, mas sua dedicação também era.

Desde que estes 3 começaram no Siu Ye Kuen, posso dizer que de certa forma crescemos juntos, e eu sabia, que talvez minhas tardes de Sexta, dia de suas Sessões, nunca mais seriam tão divertidas quanto naquela época.








Em paralelo, aconteciam alguns workshops, de onde veio Karina. Mas apesar disso, o Ving Tsun crescia no Méier através dos convites feitos pessoalmente por pessoas que já praticavam, e assim apareceu Marcelo...









Quando Marcelo(a direita na foto começou) Raphael,Lucas e Rodrigo, seus amigos de escola, o ajudaram com o Siu Nim Do.

Marcelo era bem calado, mas realmente se apaixonou pelo
Ving Tsun,tanto é, que seu irmão Bruno, acabou aparecendo e posteriormente treinando, graças a postura de Marcelo fora dali.










Apesar das agradáveis tardes de Sexta, existiam outras sessões a serem cumpridas na semana.
Priscila(foto) foi a primeira mulher a ingressar na Família Kung Fu,
vinda da Unidade Méier. E o recém admitido Guilherme(sentado) que sempre me acompanhava, foi um dos grandes responsáveis por instalar toda a cultura da Família Kung Fu de zelo naquele local, junto de seu Si Hing Felipe Mury.










A primeira visita de Si Fu a Unidade Méier, foi marcante para todos. Sua presença assinava simbolicamente o trabalho que vinha sendo realizado com muito Coração.

Daquela visita, é impossível não citar, quando Si Fu comentou apontando para a parede branca, que ali, bem ali, estava desenhada a Monalisa. Igual ao de Da Vinci. A questão, era "saber ligar os pontos". Para uma pessoa comum, era uma parede branca, para Da vinci, uma Monalisa.



Eu estava acostumado com as crianças, com os rapazes, e até mesmo com a Priscila, que no fundo,já tinha o "espírito" da Familia Kung Fu,plantado por Mestra Ursula Lima, antes de se ausentar para cuidar de sua recém nascida filha.








Mas Carla Bastos(foto) foi para mim, a descoberta de um novo parametro.
E com muita força de vontade, e um pouco de sorte, consegui guiá-la até o seu ingresso na Família.










Capítulo 3: "Lar"

Em algum nível, sempre tentamos(e conseguimos) transformar aquela escola de dança e yoga , também em nossa casa.








Em meu "desespero" e falta de visão,maturidade(chame como quiser), cheguei a levar um Muk Yan Jong para lá(foto).

Mas com o tempo vimos , que não se tratava de pendurar quadros ou tentar transformar uma sala de dança num mini-Mo Gun,mas sim, do sentimento que possuíamos dentro de nós.

 Mas eu acho que pior do que levar o Jong, foi fazê-lo usando pochete(foto)!!!Ah se a Xenia visse!rs


Foi apenas anos depois, após passar um tempo com Si Sok Navarro(foto)em São Paulo, que ouvi dele "Mo Gun é onde você está. Quando você está com o uniforme, você é o Mo Gun."














Mais do que isso, Si Fu sempre comentou que todos os praticantes do Méier, sempre tiveram uma "casa", um Mo Gun. Ou seja, o mesmo de toda a Família Kung Fu. E com isso em mente, aconteceu a primeira visita dos Siu Ye do Méier as instalações do antigo Núcleo Rio de Janeiro(foto).











Capítulo 3: Todos voltam


Si Fu visitava a Unidade Méier pela segunda vez, o que para mim sempre era uma grande honra. A qual acredito ter sido compartilhada por todos os outros..

Talvez Felipe Mury(de preto na foto) hoje já no
Biu Ji não se lembre, mas o bate-papo acabou com ele e seu Si Hing Gustavo discutindo se Tan Sau era para "golpear" ou "defender"..rs




Se descobrir que o Thiaguinho Thiers não treinaria mais foi um "baque" para mim, quando algum tempo depois, as vesperas de ir para o Cham Kiu, Gustavo(foto) o Daai Si Hing na Unidade Méier colocou para Si Sok Ursula (já de volta) que iria interromper seu treinamento, para mim foi muito duro.

Era dificil "perder" um irmão sob meus cuidados diretos. Mas depois de muita conversa com Si Fu e Si Sok,comecei a aprender que cada pessoa tem seu próprio tempo (como diria Renato Russo em "Tempo Perdido")e que devemos "deixar ela ir"...







3 anos depois, com a gente já não mais no Espaço Dharma, Gustavo reapareceu com o espírito da Família Kung Fu mais vivo do que nunca dentro de si. E para mim, foi muito emocionante esse reencontro. E ainda assim, não era a hora de Gustavo voltar, mas a ligação da Família Kung Fu, é bem mais forte do que qualquer outra coisa que já vi. E fiquei feliz em sabe que eu não tinha sido um "elo fraco" nessa corrente...

















Felipe Teixeira(foto) apareceu por convite de seu então melhor amigo Bruno, irmão de Marcelo. Mas de todo o grupo que veio junto de Bruno, apenas Felipe permaneceu. E após um afastamento de um ano, voltaria com força total como vemos nessa foto enquanto Si Fu brinca com ele durante demonstração ainda no Espaço Dharma.

Em 2011 Felipe acabou por se afastar novamente devido ao vestibular.








Quando Rodrigo Evaristo interrompeu seu treinamento, eu soube que sentiria muitas saudades. E que as tardes de Sexta, já não seriam mais cheias de brincadeiras lúdicas. Pois Raphael e Lucas haviam crescido.








Mas foi num dos dias mais especiais para mim, o Hoi Kuen de Lucas e Raphael, que reencontrei Rodrigo.E percebi que a força do "método do coração" mesmo numa criança é incrível!









Mas para cada praticante que se afastava,novos apareciam como Leonardo Henrique(verde) e Daniel de Caires(cinza). E novos desafios se apresentavam...


E agora em noites de Segunda, numa sala muitas e muitas vezes menor do que a do Siu ye Kuen nas antigas tardes de Sexta, era comum juntar quase 10 pessoas para treinos coletivos.

Não me pergunte como, mas todos, sem excessão conseguiam treinar ali ao máximo.





Capítulo 4: "Vida Kung-Fu"

Quando não estavamos mais no Espaço Dharma, para muitos poderia parecer que estava tudo perdido no Méier até que achassemos um novo local, já que por alguma razão, para alguns membros não é possível ir ao Mo Gun.

Mas Erika(foto) ainda que more no Lins e não tenha carro, atravessa uma vez na semana da Zona Norte onde mora a Zona Oeste, para treinar e estar com seu Si fu, Si Hings e Si Soks no Núcleo Rio de Janeiro. Erika, que começou no Méier, mostra que isso é mais do que possível...

Mas momentos marcantes aconteceram nesse período como por exemplo, quando treinavamos no escritório do Daniel...








...Ou na casa de Leonardo.











Claro, sem esquecer das sessões na casa de Felipe Mury.

e como se não bastasse, os próprios praticantes começaram a perceber que isso era muito pouco, e sozinhos, começaram a organizar eventos para vivenciar a Vida Kung Fu.



Capítulo 6: "Vida Kung Fu [2]"

Estivemos juntos em restaurantes onde praticantes mais antigos como Carlos Antunes e Áurea Celi puderam aparecer, bem como convidados como rodrigo Moreira, meu amigo pessoal, que apresentou Felipe Mury e Rodrigo Demetrio a Familia Kung Fu ainda que nao seja oficialmente membro.






Foi interessante vislumbrar que de uma maneira sadia, esses encontros reuniam cada vez mais pessoas de fora da Família, mas que de alguma forma tinham algum vinculo.

E que a cada semana nos tornamos mais unidos.








Você pode pensar que isso se deu por causa daquele Fandangos com Coca-cola que foi servido ao Si fu e convidados em sua primeira visita a Unidade Méier.










Ou quem sabe pelos momentos que viviamos após as sessões nas tardes de Sexta...


Mas não é isso...








Foi porque em algum dia de Janeiro de 2007 eu estive a mesa com Si Fu e seus Si hings e Si Dais em SP...










Porque estava ao lado de Si Fu ,Vlad  e Si Sok Ursula quando esta completou 9 anos de Kung Fu.









Foi porque algumas vezes estava com Si Fu para comer uma salgado gorduroso no Mo Gun, local onde muita gente aparece só pra treinar...


Mas a vida Kung Fu não se trata de comer...







Quando você está aberto para a experiência, você aprende. Não importa como. Quando você está fechado, você não aprende, não importa como também.
Meu histórico de experiências na Familia KF é nulo comparado ao de outras pessoas. Mas não se trata do tempo que você tem pra gastar com Kung Fu, mas sim, o quanto você é capaz de se disponibilizar para tal. E no caso de conseguir, como você aproveita esse tempo.


Todo o Kung Fu, todos os ensinamentos, todos os laços feitos no Méier, não vieram de outra pessoa se não o Si Fu.
Ao iniciarmos o Núcleo Méier, é importante que lembremos disso. Caso contrário, seremos apenas um grupo de pessoas "brincando" de kung fu, quando na verdade estamos perdendo nosso tempo.


É um orgulho de certa forma, ver Raphael e Lucas "perdidos" nessa foto...
Ou Leonardo Henrique e Daniel de Caires "perdidos" dentro desta outra...
Cada vez mais, será necessário se misturar e se "perder" entre os membros da Familia KF para se tornar parte dela de fato.


Se por um momento, tomarmos o Núcleo Méier como uma "Ilha" e não como "uma ponte"... Bom...


Lembra da história lá do início daquela minha grande amiga , que era minha amiga mesmo quando eu usava um blusão cor-de-fogo?









Pois bem, o Méier continuará sendo apenas um bairro como qualquer outro, ainda que tenha um Núcleo, aos olhos do Mo Lam.

Parabéns a todos, e lembrem-se que o Kung Fu está no Si fu!

Thiago Pereira,Moy Fat Lei
moyfatlei.myvt@gmail.com

1 comment:

  1. Thiago! Adorei!!! Parabéns pelo post, parabéns pelo vídeo, parabéns a todos pela conquista! Muito emocionante tudo!! :-D Bjs e bjs, Mari

    ReplyDelete