ONDE PRATICAR

ONDE PRATICAR
Clique na imagem e conheça os Nucleos da Moy Yat Ving Tsun no Rio

Wednesday, August 3, 2016

THE VING TSUN´S CHI GEUK! [ O CHI GEUK DO VING TSUN!]

A primeira vez que tive contato com o "Chi Geuk" (Também conhecido como "Chi Gerk") . Foi em algum momento em meados de 2001 , quando estava me aproximando do meu acesso ao Biu Ji. Naquela época, ao menos comigo, Si Fu parecia seguir a risca a programação proposta por Si Gung para nossa instituição. Por isso, me era apresentado o "Chi Geuk" como último "Componente Associado" ao Cham Kiu.
Era um dia de semana a noite, eu era bem mais magro e disposto(rs), diante de mim estava Antonio Eduardo. Um Si Suk que era bem alto e corpulento e usava dreadlocks brancos. Si Fu coordenou aquela sessão pessoalmente , e junto do Si Suk Antonio, mostrou a mim o que eu deveria fazer...

The first time I had contact with the "Chi Geuk" (a.k.a. "Chi Gerk"). It was sometime in mid-2001, when I was approaching my access to Biu Ji. At that time, at least with me, Si Fu seemed to follow to the letter the schedule proposed by Si Gung for our institution. So it was presented to me the "Chi Geuk" as the last "Associated Component" of the Cham Kiu.
It was a weekday night, I was much leaner and willing (lol), before me was Antonio Eduardo. A Si Suk who was tall and heavyset and wore white dreadlocks. Si Fu coordinated that session personally and with the Si Suk Antonio showed me what I should do ...
Foto "Si Fu - To Dai" de Si Suk Antonio com seu Si Fu(sentado). 
E meu Si Fu está de pé ao lado dele como seu apresentador (Gaai Siu Yan).
Photo "Si Fu - Tou Dai" of Si Suk Antonio with his Si Fu (sitting)[Who is my Si Gung].
And my Si Fu is standing beside him as his presenter (Gaai Siu Yan).

Depois de passar por "Paak Sau", "Lap Sau" no Siu Nim Tau e o próprio "Chi Sau". Ainda assim a lógica do Ving Tsun não entrava na minha cabeça. Não entendia como aqueles trabalhos me ajudariam a me defender no que eu acreditava ser uma "situação de combate real". Minha esperança era o trabalho de pernas. Mas quando Si Fu me mostrou a dinâmica do Chi Geuk, lembro bem , muito bem mesmo, que duas coisas passaram na minha cabeça: A primeira, é que estava diante de mais um trabalho esquisito do Ving Tsun! Mas como era o próprio Si Fu mostrando, alguém que fazia o que ele fazia, aquilo deveria fazer sentido. E em segundo, passou pela minha cabeça uma certa tranquilidade. Pois nada mais em termos de "diferente" me surpreenderia no Ving Tsun...

After going through "Paak Sau", "Lap Sau" in Siu Nim Tau and the very "Chi Sau". Yet the logic of Ving Tsun did not enter my head. I did not understand how those jobs would help me to defend myself in what I believed to be a "real combat situation." My hope was the footwork. But when Si Fu showed me the dynamics of Chi Geuk, I remember well, very well indeed, two things came to my mind: The first is that I was before another odd Ving Tsun work! But as was the Si Fu himself showing, someone who did what he used to do, that would make sense. And second, it crossed my mind a certain tranquility. For nothing more in terms of "different" surprise me in Ving Tsun ...
(Si Fu usa todos os membros de uma vez em prática no Núcleo Tindiba, 
onde comecei e onde ele de certa forma, iniciou sua carreira.)
(Si Fu uses all members at once in practice at the former MYVT Tindiba School,
where I started and where he somehow started his career.)

Em matéria para a Revista KIAI nos anos 90, Si Gung fala o seguinte a respeito do ato de chutar:
"O chute qualquer que seja ele, é algo anti natural para um ser humano. Ele exige uma série de adaptações : ficar numa perna só, desenvolver uma coordenação motora específica, reavaliar a noção de distância, etc... Diferentemente de um soco, uma vez que a perna perde contato com o solo e inicia sua movimentação para golpear , a distância não pode ser reajustada para cobrir um eventual afastamento do oponente."

Relating to the  KIAI magazine in the 90s, Si Gung says the following about the act of kicking:
"The kick whatever it is, is something anti natural for a human being It requires a number of adjustments:. Stay on one leg, develop a specific coordination, re-evaluate the notion of distance, etc ... Unlike a punch, since the leg loses contact with the ground and starts moving to strike, the distance can not be adjusted to cover a possible withdrawal of the opponent. "
(Na foto, pratico Chi Geuk com meu querido irmão Kung Fu e amigo de infância Gil Batista. Após sofrer bullying por um ano, passei para o lado oposto, e junto de Gil e mais um amigo, formamos um grupo de 15 meninos em nossa escola que de certa forma passamos a fazer pior com outras pessoas do que fizeram comigo. Um ano depois , quando entrei na Família Kung Fu, descobri que não precisava ser violento nem sofrer violência para fazer amigos e ser tratado com educação.
 Decidi chamar Gil e o outro amigo para entrarem na Família, mas apenas cinco anos depois ,no ano de 2003, Gil ingressaria se tornando muito querido por todos.Meu outro amigo nunca terminou o Ving Tsun experience. Na foto ainda vemos Si Fu nos observando.)

(In the picture, I practice Chi Geuk with my dear Kung Fu brother and childhood friend Gil Bautista. After being bullied for a year, I went to the opposite side, and with Gil and another friend, we formed a group of 15 boys in our school that somehow we did worse with other people than they did with me. A year later, when I entered the Kung Fu Family, I found that I did not need to be violent or suffer violence to make friends and be treated with education.
  I decided to invite Gil and the other friend to enter the family, but only five years later, in 2003, Gil would enter becoming very liked by everyone.My other friend never finished the "Ving Tsun experience" course. In the picture we still see Si Fu watching us.)

"Chi Geuk 黐腳",siginifica "aderir".  Há quem diga que significa "Pés Aderidos" mas prefiro acreditar que o ideograma que se refere aos membros inferiores "Geuk"(腳) se apresenta apenas como uma referência de onde vai ocorrer a aderência. Pois se traduzirmos como "Pés Aderidos" , corremos o risco de fecharmos a prática numa ideia única, quando na verdade , é a partir desta aderência  (Chi 黐) , que muitos outros potenciais poderão ser explorados. Como por exemplo, entendermos que a parte do pé com que tocamos no pé do outro antes de começar, denota que estamos trabalhando em "Sam Gwook Ma"(Base de três angulos) ou "Huen Ma"(Base que circunda), ambas em cima do "Hau Ma"(Base atrás)*.[* Todas estas traduções rasteiras são para o melhor entendimento dos não praticantes]. E que o seu "Jaau Wai" é diferente do "Jaau Wai" do adversário.

"Chi Geuk 黐 腳" simply means "stick on". Some say it means "Sticky Legs" but rather believe that the ideogram that refers to the lower limbs "Geuk" (腳) appears only as a reference which will occur adhesion. For if we translate as "Sticky Legs", we risk we close the practice in a single idea, when in fact it is from this adhesion (Chi 黐), many other potential can be exploited. For example, we understand that part of the foot that touched the foot of another before you start, denotes that we are working on "Sam Gwook Ma" ( three angles stance) or "Huen Ma" ( surrounding stance), both in upon "Hau Ma" (Behind Stance). * [* All these translations are  for the better understanding of non-practicing]. And your "Jaau Wai" is different from "Jaau Wai" the opponent.
No Ving Tsun, usamos os membros superiores para abordar uma investida com membros superiores. E os membros inferiores para abordar uma investidas com membros inferiores. Na foto acima, vemos Si Gung em meados dos anos 90 falando dessa lógica em palestra na PUC.
In Ving Tsun, we use the upper limbs to address an investee with upper limbs. And the lower limbs to address a vested with the lower limbs. In the picture above, we see Si Gung in the mid 90s talking this logic in a lecture at Catholic College .

O "Chi Geuk" evidência o momento de encontro de dois "Ding Geuk" (O único chute do Ving Tsun de onde os demais se desdobram) através da aderência, permitindo com que o praticante trabalhe o "PING HAANG 平衡".  Tomamos "Ping Haang" como "Equilíbrio" e para que isso seja estudado ao máximo, o praticante cruza seus braços ou os posiciona atrás do corpo enquanto usa as pernas. Desta forma, todo o equilíbrio passa a ser de responsabilidade dos membros inferiores e suas conexões.

The "Chi Geuk" evidence the moment of encounter of two "Ding Geuk" (The only kick of Ving Tsun from where the others unfold) through the stick on, allowing that the practitioner works the "PING HAANG 平衡". We take "Ping Haang" as "Balance" and for this to be studied the most, the practitioner cross his arms or positions them behind the body while using the legs. Thus, the entire balance becomes the responsibility of the lower limbs and its connections.
Em 1999 , Si Fu demonstra o "Bong Sau Hei Geuk" com a ajuda de seu Si Dai Flavio Laplace.
In 1999, Si Fu demonstrates the "Bong Sau Hei Geuk" with the help of his Si Dai Flavio Laplace.

O que eu não conseguia entender naquela noite de 2001 quando vi o Chi Geuk pela primeira vez e o pratiquei, é que não é que não usemos chutes no Ving Tsun, mas por saber do risco que se corre ao tirar um dos pés do chão, o fazemos apenas quando necessário. Nosso natural, é estar com os dois pés no chão, ao tirarmos um deles, já estaremos em desequilíbrio. Por isso, apesar de parecer simples num primeiro momento , o Chi Geuk guarda muito mais do que aparenta.
O Kung Fu não é como a matemática que numa efetuação e no sentido reverso desta, os resultados são correspondentes. As práticas precisam ser exóticas(no sentido de olharmos de fora do que nos é comum) para que não a relacionemos com "treino" ou "adestramento". Na verdade, poucas palavras resumiriam por si só o caminho chinês do Kung Fu quanto "Pela duração , transformar e fazer advir" de Sun Tzu.( Sun Zi, cap. 8)

What I could not understand that night in 2001 when I saw Chi Geuk for the very first time and practiced, it is that it's not that we do not use kicks in Ving Tsun, but knowing the risk you run when taking one foot off the ground, we do it only when necessary. Our natural, is to be with both feet on the ground when we take one of them, we'll be unbalanced. So, although seem simple at first, Chi Geuk guard much more than meets the eye.
Kung Fu is not like math that an effectuation and the reverse of this, the results match. Practices need to be exotic (in the sense of looking  from outside what is common) so not to relate to "training" . In fact, few words could sum alone the Chinese path of Kung Fu as "Trough the duration, transform and do arise" Sun Tzu. (Sun Zi, ch. 8)
Si Gung, demonstra o "Chi Geuk" nos anos 90.
Si Gung, demonstrates the "Chi Geuk" in the 90s.

Si Gung falaria na mesma entrevista a KIAI o seguinte: "...Vemos que os melhores e mais simples e eficientes chutes são aqueles dados na altura da cintura, que é o alcance máximo do chute..."
No Chi Geuk, após tocar o pé do companheiro, eleva-se os dois com gentileza ainda aderidos até a altura máxima. Ali , os pés se conectam quando é colocada pressão pra frente. A partir daí se percebe se a energia do outro está menor ou maior que a nossa. Se for igual, descemos no mesmo lugar, se for maior ou menor, nos movimentamos em função disso.
Não se pode falar a respeito de um objetivo específico com relação a essa prática, mas você pode se perguntar o quanto você consegue enxergar se desdobrando dela.

Si Gung speak in the same interview on KIAI magazine the following: "... We see that the best and most simple and efficient kicks are those given at the waist height, which is the maximum range of the shot ..."
In Chi Geuk, after touching the foot of the companion, rises the two gently yet adhered to the maximum height. There the feet connect when placed pressure forward. From there you realize that the power of the other is smaller or larger than ours. If equal, we went down in the same place, if it is higher or lower, we move accordingly.
We can not talk about a particular purpose with respect to this practice, but you may wonder how you can see it unfolding.
(Si Fu usa o "Ding Geuk" em Flavio Laplace, seu Si Dai, durante demonstração para fotos em 1999)
(Si Fu use "Ding Geuk" on Flavio  Laplace, his Si Dai, during demonstration for photos in 1999)

Em seu livro "Ving Tsun , A arte da simplicidade" (1999), Si Fu escreve o seguinte sobre "Chi Geuk": " Em Chi Geuk não há preocupação especificamente com a Linha Central , mas sim com uma área central, área esta que permite o posicionamento equilibrado do pé. Um dos erros muito comuns em Chi Geuk é baixar a cabeça e olhar para os pés. Não se deve permitir que a postura seja afetada. Pois em Chi Geuk apenas os pés estarão se tocando, mas isso não significa que eles deverão ser o foco principal de estudo."

In his book "Ving Tsun, The art of simplicity" (1999), Si Fu writes about "Chi Geuk": "In Chi Geuk no concern specifically with the Central Line, but with a central area, area this that It allows the balanced positioning of the foot. One of the common mistakes in Chi Geuk is to lower one´s head and look at one´s feet. Do not allow the position to be affected. because in Chi Geuk just feet are touching, but that does not mean they should be the main focus of study. "
Prática de chutes no Mo Gun com Gil Batista. (2003)
[Kicks practice at Mo Gun with Gil Batista ,2003]

Demorou um pouco para que eu pudesse entender sobre "Chi Geuk". Um irmão Kung Fu chamado Arion Lucas praticava num horário em que só eu podia estar em 2008 . Si Suk Ursula que cuidava das sessões me perguntou se eu podia assumir: "Acho que o Arion vai se dar bem com você".
Nos encontrávamos uma vez por semana , e na penumbra do fim de tarde fazíamos Chi Geuk sem intervalos e sem nada ser dito. Eu não achava que teria algo relevante para falar para o Arion. Além disso, tinha tantas dúvidas que achava que poderia prejudicá-lo. E exatamente por isso foi tão bom! O silêncio e o foco com que nos sintonizávamos com aquele momento nos fez aprender muito mais do que se eu tivesse mil teorias para compartilhar com ele...
Por isso, apesar de ter tido contato com o "chi Geuk" a primeira vez em 2001, só comecei a entender junto do Arion em 2008... Mas se eu tivesse dito a Si Suk Ursula que "Não ia dar para cuidar do Arion" ... Talvez até hoje eu não tivesse aprendido...Vai saber...

It took a while for me to understand about "Chi Geuk". A  Kung Fu Brother called Arion Lucas practiced in a time of the week where only I could be with him in 2008. Si Suk Ursula who took care of the practices at the time asked me if I could take: "I think Arion will get along with you."
We met once a week, and in the late afternoon We did Chi Geuk without breaks and without anything being said. I did not think I would have something important to talk to  Arion. Besides, I had so many questions that I thought could damage his kung fu experience. And exactly why it was so good! The silence and focus that we had  during those moment made us learn a lot more than if I had a thousand theories to share  with him ...
So, despite having had contact with the "Chi Geuk" the first time in 2001, only started to understand with Arion in 2008 ... But if I had told Si Suk Ursula that "I was not going to to take care of Arion "... Maybe today I had not learned ... Who knows ...

Thiago Pereira "Moy Fat Lei"
moyfatlei.myvt@gmail.com

No comments:

Post a Comment