ONDE PRATICAR

ONDE PRATICAR
Clique na imagem e conheça os Nucleos da Moy Yat Ving Tsun no Rio

Friday, August 12, 2016

II Ceremonial Act of Moy Fat Lei Family[II Ato Cerimonial da Família Moy Fat Lei]

(Sentados da esquerda para a direita : Meu Si Hing Leonardo , 
eu, meu Si Fu e meu Si Hing Cledimilson)

(From left: My Si Hing Leo , I, my Si Fu and my Si Hing Cledimilson)


A segunda Cerimônia na qual participei, foi para acessar o Cham Kiu. Na Moy Yat Ving Tsun Martial Intelligence, não nos valemos dos chamados “exames de faixa” para que alguém acesse o nível seguinte. Mesmo porque, não usamos faixas. Meu Si Fu (palavra do dialeto cantonês para “Mestre”) me disse uma vez que se você conhece o seu companheiro, vai saber em que nível ele está, então a faixa se torna desnecessária.

The second ceremony in which I participated, was to access the Cham Kiu. In Moy Yat Ving Tsun Martial Intelligence, we do not do  the so-called "belt exams" for someone to go to the next level. Even because we do not use belts. My Si Fu (Cantonese dialect word for "Master") once told me that if you know your partner will know at what level he is, then the belt becomes unnecessary.
(Todo o local para a Cerimônia, os convidados, o restaurante 
para o almoço na sequência. Foram organizados pelos próprios praticantes.)

(The whole place for the Ceremony, the invitations, the restaurante 
for the lunch after, were organized by the practitioners theirselves)

Em nossa instituição usamos os Procedimentos Cerimoniais, que são eventos com determinadas formalidades listadas em procedimentos. Nas quais o praticante tem a oportunidade de organizar o evento com o auxílio de um membro mais antigo, de forma a explorar outros aspectos de liderança , interpessoalidade e demais possibilidades . Num cenário diferente das sessões nas quais aprende técnicas.

In our institution we use the Ceremonial Procedures, which are events with certain formalities listed in procedures. In which the practitioner has the opportunity to organize the event with the help of an older member, to explore other aspects of leadership, interpersonality and other possibilities. In a different scenario of sessions in which learning techniques.

Na Cerimônia em que acessaria o segundo nível do Sistema Ving Tsun, me encontrava com 16 anos(foto). Era uma manhã de Sábado e basicamente todos os meus familiares estavam presentes. Na época, a prática do Ving Tsun ainda contava como um hobby para meus pais. Essa Cerimônia foi dentro do antigo Núcleo Jacarepaguá, e estava bem cheia. Eu ainda usava cabelos com corte “asa-delta” , calçava All-Stars e não me sentia tão nervoso assim... Porém, dezesseis anos se passaram num piscar de olhos. Coloquei meu blazer branco num cabide para não amassar e uma mochila no outro ombro. Estava com sapatos pretos, calça preta e “Tong Jong” (blusa tradicional chinesa) preto. Mais uma cerimônia iria acontecer, mais uma cerimônia dentro do “Mo Gun”(Local de prática). Mas dessa vez seria diferente...  Era a segunda Cerimônia na qual eu era o “Si Fu” recebendo novos membros em minha Família Kung Fu.  Nessa segunda Cerimônia, eu também não estava nervoso. 

In the ceremony that I would access the second level of Ving Tsun, I found myself with 16 years old(photo above). It was a Saturday morning and basically all my family members were present. At the time, the practice of Ving Tsun still counted as a hobby for my parents. This ceremony was within the old  Jacarepagua School and was well filled. I still wore "gliding" hair-cut style,wore  All-Stars snickers and did not feel so nervous so ... However, sixteen years have passed in a flash. I put my white blazer on a hanger not to knead and my bag on the other shoulder. I was wearing black shoes, black trousers and a black "Tong Jong" (traditional Chinese blouse) . Another ceremony would happen, another ceremony in the "Mo Gun" (practice location). But this time would be different ... It was the second ceremony in which I was the "Si Fu" getting new members in my family Kung Fu. In this second ceremony, I also was not nervous.

II Ato Cerimonial da Família Moy Fat Lei
II Ceremonial Act of Moy Fat Lei Family

O dia havia começado com um café-da-manhã entre eu, meu Si Fu e meus irmãos Kung Fu. De lá, fomos para o Mo Gun e eu pude ir com Si Fu em seu carro. Conversamos um pouco e ao chegarmos no prédio, acabamos por passar por um contratempo com um dos funcionários do prédio empresarial no qual o Núcleo Barra está alocado. Foi bem interessante ver como Si Fu lidou com a situação. O “aluno de Kung Fu” em cantonês é chamado “To Daí”. “To Daí” se refere a “alguém que segue”. Seguir um Si Fu , é poder presenciar momentos como esse, nos quais um soco ou um chute não resolveriam, pelo contrário: Poderiam criar um grande problema!  Ao estarmos em momentos assim, temos a chance de aprender, e esses momentos nós chamamos de “Vida Kung Fu”...

The day had started with a breakfast in the morning between me, my Kung Fu brothers and my Si Fu . From there, we went to the Mo Gun and I could go with Si Fu in his car. We talked a bit and get in the building, we ended up spending by a mishap with one of the employees of the business building where his Mo Gun is allocated. It was very interesting to see how Si Fu handled the situation. The "student of Kung Fu" in Cantonese is called "To Dai." "To Dai" refers to "one who follows." Following a Si Fu, it is able to witness moments like this, in which a punch or a kick not solve, on the contrary, could create a big problem! When we watch Si Fu in those moments so we have a chance to learn, and these moments we call "Kung Fu Life" ...
(Foto de Si Fu com sua filha mais nova, a ginasta Julia Camacho num café-da-manhã pouco antes de irmos para uma Cerimônia no novo endereço do Núcleo Copacabana.
 Nesta ocasião ele falou um pouco sobre maneiras de se vestir bem.)

(Photo of Si Fu with his younger daughter, the gymnast Julia Camacho  in a breakfast just before we go for a ceremony at the new address of Copacabana School.
  On this occasion he talked a little about ways to dress well.)

Ao entrar no Mo Gun, fui recebido por alguns de meus To Dai e irmãos Kung Fu. Algumas cadeiras estavam dispostas para que a audiência pudesse se sentar.  Em momentos como esses, eu costumo entender melhor o Kung Fu e coisas de muitos anos que não compreendi na época. Uma semana antes desse evento, Si Fu conversou com meu irmão Kung Fu, Rodrigo Moreira sobre como se vestir , enquanto tomávamos café antes de irmos ao novo endereço do Núcleo Copacabana.
Si Fu disse para Rodrigo, que quando vamos nos arrumar, precisamos levar em consideração três fatores: A circunstância, nosso estilo e o que temos condição de arcar. Si Fu comentou que se colocarmos nosso estilo acima da circunstância, temos muita chance de estarmos inapropriados para o evento em si no final das contas.

Upon entering the Mo Gun, I was greeted by some of my Kung Fu brothers and  To Dai. Some chairs were arranged so that the audience could sit. At times like these, I usually understand better Kung Fu and things from many years before wich I did not understand at the time. A week before this event, Si Fu talked to my Kung Fu brother , Rodrigo Moreira on how to dress, during breakfast before we go to the new address of Copacabana School:
Si Fu told Rodrigo that when we want to dress ourselves, we must take into account three factors: The circumstances, our style and our financial condition. Si Fu said that if we put our style above circumstances, we have little chance of being inappropriate for the event itself in the end.
(Foto de Si Fu com Si Gung nos anos 90 quando Ace of Base e Corona ainda tocavam nas rádios)
(Photo of Si Fu and Si Gung in the 90's , when Ace of Base and Corona 
were still playing on the radio )


Eu sempre vi Si Fu e Si Gung muito bem vestidos em ocasiões como estas. Não estou me referindo a usar roupas caras. Mas sim, estar alinhado , apropriado com a ocasião. E mesmo dentre tantos praticantes, eles conseguiam se sobressair com suas indumentárias.
Si Fu já havia falado sobre isso comigo em outra ocasião: Estávamos tomando sopa numa noite qualquer de 2013 e ele elogiou a roupa que eu usava: “Essa roupa ficou bem em você.” – Si Fu comentou que além do caimento, havia reparado que eu tinha “assumido” a roupa. Ele me chamou a atenção , para o fato de quando vemos alguém com uma super roupa, mas que parece que nem é da pessoa- “É porque a pessoa está usando a roupa mas não assume ela” – Comentou ele.

I always saw Si Fu and Si Gung very well dressed at times like these. I'm not referring to wear expensive clothes. But, they were aligned, appropriate to the occasion. And even among many practitioners, they could stand out with their clothes.
Si Fu had already talked about it with me on another occasion: We were having soup some night of 2013 and he praised the clothes I wore, ". This fits well on you" - Si Fu said that in addition to trim, had noticed that I had "assumed" my clothing. He called my attention to the fact when we see someone with a super outfit, but it seems that is not the person's clothes- "It is because the person is wearing clothes but does not assume it" - he commented.


(Cantando com Si Fu em seu aniversário de 37 anos)
(Singing along with Si Fu during his b-day party in 2006 : 37 years old at the time!)

Eu me peguei pensando muito em qual roupa usar naquela manhã, e acabei saindo para comprar o “Tong Jong” que usava. Usar “Tong Jong” com um blazer por cima, é algo que faço desde 2006, quando pensei em que roupa usar, para cantar no aniversário de Si Fu. Mas naquela época, era só estilo... Dessa vez, sai em direção ao shopping porque levei em conta esses três fatores.  E não consigo dizer se eu era o mais alinhado da sala, mas tão pouco, era alguém que pegou a melhor roupa no armário ou pior: Qualquer roupa passada e vestiu.
No aniversário de Si Gung (termo que usamos para o “Si Fu” do seu “Si Fu”) , lembro que sua esposa, Sra Vanise Imamura a quem nos referimos como "Si Taai". Chamou a atenção para o quão alinhados todos estavam. e fez menção ao fato de ter conhecido todos bem jovens e sem noção de como estar devidamente vestidos para uma determinada ocasião...

I found myself thinking a lot about what clothes to use that morning, and I ended up going out to buy the "Tong Jong" I wore. Use "Tong Jong" with a blazer over it, it is something I do since 2006, when I thought of what to wear, to sing during the birthday party of Si Fu. But at that time, I was only thinking on style ... This time, out into the mall because I took into account these three factors. And I can not tell if I was the more well dressed in the room, but so little was someone who took the best clothes in the closet or worse:  ironed Any clothes and dressed.
On the anniversary of Si Gung (the term we use for "Si Fu" of your "Si Fu"),  his wife, Mrs. Vanise Imamura whom we refer to as "Si Taai", remembered something: She drew attention to how everyone was well dressed. and made mention of the fact of having known everyone there very young and clueless on how to be properly dressed for a particular occasion ...
(Si Fu fala um pouco sobre alguns procedimentos com relação 
à mesa ancestral no Clã Moy Jo Lei Ou)

(Si Fu talks a little about some procedures on the ancestors table in Moy Jo Lei Ou Clan)


A manhã começou com um pequeno bate-papo com Si Fu , no qual ele pôde falar sobre por exemplo, quando oferecemos um "Hung Baau" a alguém , entregarmos com o desejo virado para a pessoa. Da mesma forma, quando colocamos um Hung Baau no recipiente da mesa ancestral, o desejo pode estar virado para a parede ancestral.
"Hung Baau" são envelopes vermelhos com desejos em dourado escritos do lado de fora, no qual em seu interior a pessoa que o oferta deposita uma quantia em dinheiro. O "Hung Baau" na cultura clássica chinesa, simboliza um desejo que você tem para alguém, e o dinheiro, é a forma materializada da sua energia para que o desejo aconteça. Não se tem uma quantia certa para por num Hung Baau. Isso vai de acordo com a circunstância. Mas é sabido que devemos evitar moedas, a menor cédula da moeda corrente e números que terminem em quatro.
Também devemos evitar amassar ou embolar o dinheiro dentro do Hung Baau. Certa vez, Si Fu viu como guardava o meu dinheiro dentro da carteira e me pediu para toma-la em suas mãos. Quando a pegou, retirou todas as cédulas e foi organizando-as : "...Você coloca da maior para a menor, da mais nova para mais antiga..." - Si Fu ao final depositou o dinheiro na carteira novamente e me disse: "...Se você não tratar o dinheiro bem, ele vai embora..."

The morning started with a small chat with Si Fu, in which he could talk about for example,how do  we offer a 'Hung baau " to someone, we give it to with the desire written turned to the person. Similarly, when we put a Hung baau in the ancestral table container, the desire may be facing the ancestral wall.
"Hung baau" are red envelopes with wishes written in golden ideograms on the outside, where inside the person who offer deposit a sum of money. The "Hung baau" in classical Chinese culture symbolizes a desire that you have for someone, and money is the materialized form of its energy to the desire happen. The amount inside a Hung Baau  will according to circumstances. But we know that we should avoid coins, the smallest banknote currency and numbers ending in four.
We must also avoid wrinkling or tangle money within the Hung baau. Once Si Fu saw how I was keeping my money inside my wallet and asked me to take it in his hands. When picked up, he removed all the money and was organizing them: "... You put the largest to smallest, newest to oldest ..." - Si Fu at the end deposited the money in the wallet again and told me : "... If you do not handle money well, it will go away ..."
(Na última visita de Patriarca Moy Yat ao Brasil , na foto ao lado de sua esposa, Sra Helen Moy. Ele se senta numa das cadeiras que compõem o conjunto que hoje é usado para nossa mesa ancertal no Núcleo Barra)

(On the last visit of Patriarch Moy Yat to Brazik, next to his wife in the photo above, Mrs. Helen Moy. He sits in one of the chairs that make up the group that is now used for our ancestor table in the Barra School)



A Cerimônia começou e o primeiro a ser apresentado foi Alan Farias. Alan é mais velho do que eu, natural da Bahia e com passagem por diferentes profissões. Enquanto ouvia a apresentação dele, me sentava na cadeira reservada ao Si Fu do local. Só que eu estava no Mo Gun do meu próprio Si Fu. Isso quer dizer , que eu estava sentado na cadeira dele! Por sua vez, Si Fu sentou-se na cadeira reservada ao Si Gung(Si Fu do Si Fu) daquele Mo Gun.
Para mim foi muito emocionante! Talvez para você que esteja lendo não faça muito sentido, mas uma vez Si Fu me perguntou : "Pereira, sabe qual a diferença entre um ser humano e os outros animais? A nossa capacidade de dar símbolos as coisas. Por exemplo, para um cachorro ou uma tartaruga. Um bife ou uma alface é apenas comida, mas para nós, a gente pode inclusive sair para jantar com alguém para estar junto da pessoa, e não pela comida em si. Compreende isso?"   - Essas palavras me vieram à cabeça enquanto sentava naquela cadeira que já acomodou Patriarca Moy Yat, Grão-Mestre Leo Imamura e o meu próprio Mestre Julio Camacho. E eu , "um moleque", sentado ali. Como podia isso? - Eu posso explicar dizendo que meu Si Fu legitimou isso, então estava tudo bem...

The ceremony started and the first to be presented was Alan Farias. Alan is older than I, a native of Bahia State and passing through different professions. As I listened to the presentation about him, I sat in the chair reserved to Si Fu location. But I was at Mo Gun of my own Si Fu. That is to say, I was sitting in his chair! In turn, Si Fu sat in the chair reserved for Si Gung (Si Fu's Si Fu)of that Mo Gun.
For me it was very exciting! Maybe for you that is reading not make much sense, but once Si Fu questioned me: "Pereira, Do you know the difference between a human and other animals? Our ability to symbols things. For example, for a dog. or a turtle. a steak or a lettuce is just food, but for us, we can even go out to dinner with someone to be with the person, not for the food itself. Do you understand that? " - These words came to mind as I sat in that chair that has welcomed Patriarch Moy Yat, Grand Master Leo Imamura and my own Master Julio Camacho. And I, "just a lad" sitting there. How could it? - I can explain by saying that my Si Fu legitimized it, so it was okay ...
(Si Fu com sua filha mais velha, Jade Camacho, em 2003. Ao fundo a janela onde três anos antes ele conversara comigo pela primeira vez sobre não entrar e sair correndo do Mo Gun.)

(Si Fu with his eldest daughter, Jade Camacho, in 2003. In the background the window where three years before he talked to me for the first about not getting in and out in the Mo Gun just for practice.)

O segundo a ser apresentado foi Thiago Quental. Thiago tem a mesma idade que eu e mora próximo ao Mo Gun do Méier. Sempre que via Thiago chegar no Mo Gun, ele parecia com pressa. Ao final das sessões, isso também acontecia. Nunca perguntei se ele estava de fato com pressa... Mas foi exatamente quando relaxou, que sua entrada na Família se fez...
Certa vez eu estava ainda no Siu Nim Tau, primeiro nível do Sistema Ving Tsun. Era início de 2000, e eu e mais um rapaz que fizera a Cerimônia de Admissão na Família junto comigo, assim como Alan e Thiago, estava de pé comigo diante de Si Fu para nossa prática. Naquele dia porém, Si Fu resolveu fazer algo diferente: Ele pediu que fôssemos executando cada movimento do Siu Nim Tau, enquanto ia falando o nome de cada dispositivo e explicando, através de exemplos lúdicos, seu nome em português e o que significavam. Ao final , ele pediu que nós dois fizessemos o Siu Nim Tau e falássemos o nome e a tradução de cada movimento. Meu irmão Kung Fu não se lembrou, mas eu consegui lembrar de todos e todas as traduções... Ao final, apressadamente me preparei para ir embora. Si Fu me chamou num canto da sala enquanto as outras pessoas praticavam e disse algo como: "Thiago, fiquei bem impressionado hoje com sua capacidade de memorização. Você viu que o rapaz não conseguiu lembrar de tudo, mas sabe... Eu fiquei realmente impressionado porque chinês não é um idioma fácil. Entende?" - Ele fez uma pausa apoiado numa das janelas, de costas pra ela olhando para mim que estava de pé a sua frente e prosseguiu: " ...Por isso que queria que você pensasse melhor sobre poder estar mais no Mo Gun, estar mais junto da Família, porque eu acho que tem potencial pra muita coisa. Mas se você entrar e sair correndo sempre, a gente não consegue explorar isso..."  - É, aquela conversa só surtiria efeito em 2005...

The second to be presented to us was Thiago Quental. Thiago has the same age as me and lives near the Mo Gun of Meier neighborhood. Whenever I saw Thiago arrive at Mo Gun, he seemed in a hurry. At the end of the sessions, this also happened. I never asked if he was really in a hurry ... But he was just as relaxed, his entry in the Family was made ...
Once I was still in Siu Nim Tau, the first level of Ving Tsun. It was early 2000 and I and another boy who had made the admission ceremony in the family with me, as well as Alan and Thiago, was standing with me before Si Fu to our practice. That day however, Si Fu decided to do something different: He asked us to be running every move of Siu Nim Tau, as he spoke the name of each device and explaining, through playful examples, its name in Portuguese and what they meant. At the end, he asked the two of us to do the Siu Nim Tau and we spoke the name and the translation of each movement. My Kung Fu brother did not remember, but I could remember all and all translations ... At the end, hastily prepared to leave. Si Fu called me in the corner while the others practiced and said something like:. "Thiago,I was impressed today with your memory capacity . You see that the guy could not remember everything, but you did ... I was really impressed because Chinese is not an easy language. See? " - He paused supported one of his hands on the windows, back to it looking at me who was standing in front of him and continued: "... So I wanted you to think better about being able to be more in Mo Gun, be more together to the Family, because I think you has potential for much more. But if you come and go away always in a hurry forever, we can not explore it ... ".
(Si Fu entrega a honra de posar para foto comigo e os dois novos membros da Décima Terceira Geração : Thiago Quental, vestindo vermelho. E Alan Farias de pé à direita.)

(Si Fu delivers the honor to pose for picture with me and the two new members of the Thirteenth Generation: Thiago Quental, wearing red and Alan Farias standing on the right..)


Por falar nisso, Si Fu tem falado muito em respeitar o tempo de cada um. Como Si Fu, espero conseguir respeitar o tempo de cada To Dai assim como foram respeitados os meus momentos. Sem abrir mão dos desafios! Mas sem pressionar ninguém!
Essa foi a LV Cerimônia Tradicional do Clã Moy Jo Lei Ou da qual minha Família Kung Fu faz parte. E Alan Farias e Thiago Quental são os dois novos membros da Décima Terceira Geração da Linhagem  Moy Yat. Ambos apresentados por Rodrigo Moreira "Moy Mo Lei" em 30 de Julho de 2016.

By the way, Si Fu has been talking a lot about to respect the time of each person. As a Si Fu, I hope to respect the time of each To Dai as my moments were respected. Without giving up the challenges! But without pushing anyone!
That was the LV Traditional Ceremony of Moy Jo Lei Ou Clan which my Kung Fu Family is part. And Alan Farias and Thiago Quental are the two new members of the Thirteenth Generation of Lineage Moy Yat. Both presented by Rodrigo Moreira "Moy Mo Lei" on 30 July 2016.


The Disciple of Master Julio Camacho
Thiago Pereira "Moy Fat Lei"
moyfatlei.myvt@Gmail.com



1 comment: