ONDE PRATICAR

ONDE PRATICAR
Clique na imagem e conheça os Nucleos da Moy Yat Ving Tsun no Rio

Thursday, July 28, 2016

Não se Desespere: Use Kung Fu! (Do not loose it! Use Kung Fu!)

(Amanhecer no Méier: Como nossa mente está perturbada, tendemos a pensar que 
nosso entorno mudou. Mas está tudo lá ainda, basta olhar)
(Dawn in Meier: As our mind is disturbed, tend to think that
our environment has changed. But it's all still there, just look)

Gosto muito de um dito que fala que toda pessoa está lutando uma guerra que você nem imagina. E isso é verdade! Quando comecei nas artes marciais aos quinze anos, procurei essa pratica para me proteger de abusos que sofria na escola e nas ruas do bairro. Mas meu Mestre, me falou pela primeira vez sobre as Artes Marciais terem esse nome, pois "Marcial " vem de Marte , o Deus da Guerra na mitologia romana . E que essa guerra era interna, a guerra que temos dentro de cada um de nós e que precisamos enfrentar.
Acontece que talvez o que nos falte, seja assumir a responsabilidade em nossas batalhas. Temos um sentimento estranho de protagonismo que só nos serve quando algo aparentemente deu certo. Quando esta coisa que estamos contando dá errado, não gostamos de lidar com os resultados de nossas ações e começamos a nos sentir vítimas.

No livro "The Shaolin Way"(Demasco,Steve.2005) , o autor fala algo muito interessante a esse respeito: "... Na nossa cultura , nós não reconhecemos esse tipo de responsabilidade e desse modo gastamos muito tempo e energia nos sentindo injustiçados e culpando os outros. Muitos de nós, inundados por expectativas de 'como a vida deve ser' , não aprendemos a aceitar uma situação pelo que ela é e a nos adaptar a ela - mesmo ela sendo horrível!"

I enjoy a saying that says that every person is fighting a war that you can not imagine. And this is true! When I started martial arts at fifteen, I tried this practice to protect me from abuse I suffered at school and in the neighborhood streets. But my Master,  spoke about the Martial Arts have this name because "Martial" comes from Mars, the God of War in Roman mythology. And this war was internal, the war that we have inside of us is that we must face.
It turns out that maybe  we lack, or take responsibility for our battles. We have a strange sense of leadership that only serves us when something apparently worked. When this thing we're counting goes wrong, we do not like to deal with the results of our actions and begin to feel victims.

In "The Shaolin Way" (DeMasco, Steve.2005), the author says something very interesting in this regard: "... In our culture, we do not recognize this type of responsibility and thus spend a lot of time and energy feeling . wronged and blaming others. Many of us, overwhelmed by expectations of 'how life should be,' we do not learn to accept the situation for what it is and to adapt to it - even if it is horrible "
(Você pode relaxar, se compenetrando em pequenas ações do dia-a-dia. 
Mesmo as mais simples, esteja presente no que está fazendo!)
(You can find relaxation, getting yourself immerse in small actions from day-to-day.
Even the most simple, be present in what you're doing!)


O Ving Tsun, arte marcial que pratico desde meus 15 anos, não insere em sua prática, costumes e ritos religiosos. Mas sua origem está ligada ao Templo Shaolin (Siu Lam), o qual era budista. Sobre o budismo, meu Si Fu costuma dizer que algo dado como certo, é que "Vamos sofrer"... Vamos sofrer até mesmo tentando não sofrer. E em muitos de meus momentos de angústia, quando o ar parecia faltar, o peito apertava e tudo parecia perdido. No meio daquela escuridão que as vezes caímos, ouvia sua voz me chamando de volta. Si Fu (Como chamamos o "Mestre" em cantonês), sempre me falou sobre a vida ser cíclica. E o sucesso de hoje, pode ser o estopim para um grande fracasso posterior. Ou vice-versa. Mas de fato, nada disso importa, porque precisamos aproveitar o processo dos acontecimentos. Acontece, que ou estamos muito felizes para estar atentos aos desdobramentos, ou muito arrasados para ver as coisas como elas são.

The Ving Tsun, martial art I practice since I was 15, did not enter into its practice, customs and religious rites. But its origin is linked to the Shaolin Temple (Siu Lam), which was a Buddhist Temple. About Buddhism, my Si Fu say something taken for granted, is that "We will suffer" ... We suffer even trying not to suffer. And many of my moments of anguish, when the air was missing, my chest tightened and all seemed lost. In the midst of darkness that sometimes we fall, I heard his voice calling me back. Si Fu (The way we call the "Master" in Cantonese), always told me about life being cyclical. And the success of today may be the  a trigger for a major failure later. Or vice versa. But in fact, none of that matters, because we need to enjoy the process of events. It turns out that either we are very happy to be attentive to developments, or too devastated to see things as they are.
(Meu Si Fu faz o Siu Nim Tau na antiga sede mundial da Moy Yat Ving Tsun em NY)
(Si Fu does Siu Nim Tau at the former Moy Yat Ving Tsun headquarters)



Sofrimento na maioria das vezes está relacionado a não conseguir o que queremos. E uma prática muito interessante do Ving Tsun para momentos como este é o "Siu Nim Tau": Uma sequência de movimentos numa base estacionária, que quando executado com o coração presente, permite com que você esteja presente no momento e em nenhum outro lugar. Durante o tempo em que você estiver executando o Siu Nim Tau, você está respirando e pode tomar um ar com relação a tudo que está acontecendo. É claro, que não será tão fácil num primeiro momento! Mas lutar não diz respeito a enfrentar situações de crise?
Quando fazemos Siu Nim Tau, nos focamos totalmente nos detalhes , e essa é uma maneira de meditar sob pressão, e é tudo menos passiva. Essa atitude , de buscar o relaxamento durante a crise, diz respeito a entender que a vida vem com muitas coisas ruins sobre as quais você não tem controle, como a morte, mas o controle da mente está sempre disponível para você.

Suffering most often is related to not getting what we want. And a very interesting practice of Ving Tsun for moments like this is "Siu Nim Tau": A sequence of movements in a stationary stance, which when run with one´s heart, allows you to be present at the time and nowhere else. During the time you are running Siu Nim Tau, you are breathing and can have an air about everything that's going on. Of course, that will not be easy at first! But fighting is not about to face a crisis?
When we Siu Nim Tau, we fully focused on the details, and this is a way to meditate under pressure, and is anything but passive. This attitude of seeking relaxation during the crisis, concerns understand that life comes with a lot of bad things about which you have no control, such as death, but the mind control is always available to you.
Meu nome é Thiago Pereira, tenho 32 anos e pratico Ving Tsun desde os 15. Sou o primeiro Mestre de Ving Tsun da história de Rocha Miranda, localidade onde nasci, e só cheguei até aqui graças a orientação de meu Si Fu(foto), mas principalmente a cada pequeno acontecimento que se deu: Desde os mais felizes até os mais horríveis.
Não sei quem é você que está lendo nesse momento... Não sei se você perdeu seu emprego, não sei se você perdeu o amor da sua vida, não sei se você está apenas se sentindo sozinho. Mas tenho apenas uma coisa para te dizer: Se você apenas conseguir passar por esse momento, se você apenas deixar o tempo passar... Um dia, você vai se sentir agradecido pelo que está passando agora! Sei que nesse momento é difícil de acreditar, mas entenda: Isso vai acontecer se você deixar.

My name is Thiago Pereira, I am 32 years old and I practice Ving Tsun since 15. I am the first Master of Ving Tsun history of Rocha Miranda, a town where I was born, and only got here thanks to guidance from my Si Fu (photo) but mostly every little event that occurred From the happiest even the most horrible.
I do not know who are you are reading right now ... I do not know if you lost your job, do not know if you lost the love of your life, do not know if you're just feeling alone. But I have only one thing to tell you: If you just get through this time, if you just let time pass ... One day, you will feel grateful for what's going on now! I know that time is hard to believe, but understand: This will happen if you fail.


THE DISCIPLE OF MASTER JULIO CAMACHO
Thiago Pereira "Moy Fat Lei"
moyfatlei.myvt@gmail.com

No comments:

Post a Comment