ONDE PRATICAR

ONDE PRATICAR
Clique na imagem e conheça os Nucleos da Moy Yat Ving Tsun no Rio

Wednesday, April 27, 2016

Moy Fat Lei Family´s first stories (Primeiras histórias da Família Moy Fat Lei)

(Aeroporto do Galeão, início de Novembro de 2009 : Partida de Si Fu e Si Suk Felipe para a China)
(Galeao Internation Airport in Rio, November 2009 - Si Fu and Si Suk Felipe Departure to China)

(Era uma tarde chuvosa de Sábado quando pegamos Si Fu em sua casa. No meu  carro, eu ia com ele na frente, enquanto Guilherme e Jade se espremiam no meio da minha bagunça no banco traseiro.
Si Fu mal havia conseguido dormir, pois naquela mesma manhã havia acontecido a mudança de nosso atual Mo Gun. Ainda assim, Si Fu estava muito animado, e falava sobre esse novo momento que nos aguardava à época.)

(It was a rainy afternoon of Saturday when we take Si Fu from his home to the airport. In my car, I went with him in front, while Guilherme and Jade squeezed themselves in the middle of my mess in the backseat.
Si Fu was barely able to sleep, because that very morning we were moving to a new Mo Gun. Still,Si Fu was very excited, and talked about this new moment that awaits us at the time.)


As duas imagens acima, são de dois momentos distintos em anos distintos em que acompanhei meu Si Fu até o aeroporto antes de uma viagem. A segunda foto foi num final de Sábado e a primeira num final de Domingo. 
Fiz questão de falar destes dois dias, porque quando se procura uma prática de arte marcial pela primeira vez , dificilmente encontraremos alguém considerando estes dois períodos nestes dois dias em particular. 

The two images above are from two different times in different years that I followed my Si Fu to the airport before a trip. The second picture was on Saturday in the evenning and the first was in a  Sunday night.

I wanted to speak of these two days, because when looking for a practical martial art for the first time, we will hardly find anyone considering these two periods in these two particular days for experience kung fu
(Si Gung abraça Si Suk Ursula em seu primeiro aniversário como Si Fu)
(Si Gung hugs Si Suk Ursula at her first birthday as a Si Fu)


Mas qual a razão da cultura clássica chinesa valorizar tanto o processo relacional entre Si Fu e To Dai , que Patriarca Moy Yat chamou de "Vida Kung Fu"?
Segundo uma passagem dos analectos de Confúcio : "...O mestre diz: Quando se passeia , mesmo que só a três, cada um está seguro de encontrar no outro um mestre, considerando o que há de bom no outro para imitá-lo e o que há de mau para corrigi-lo em si mesmo..." . Anne Cheng, sinóloga e professora de cultura chinesa no Collége de France, completa : "...Trata-se de aprender, não para os outros, mas junto dos outros. Tudo proporciona ocasião para aprender, já que se aprende sobretudo no intercambio..." (Cheng,1997)

But why the classical Chinese culture values  the relational process between Si Fu and To Dai, that Patriarch Moy Yat called "Kung Fu Life"?

According to a passage from the Analects of Confucius: "... The master says: When one walks, even if there are only three people, each is sure to find in the other a teacher, considering what is good in others to imitate  and what is bad to fix it in himself ... ". Anne Cheng, sinologist and professor of Chinese culture at the Collège de France, adds: "... It is to learn, not to others, but with the other, everything  gives an opportunity to learn, as you learn especially in the exchange.. .. '(Cheng, 1997)

Primeiras histórias da Família Moy Fat Lei
Moy Fat Lei Family´s first stories

Se o processo relacional ao qual chamamos "Vida Kung Fu", é a interpretação do termo no dialeto cantonês "Sam Faat". A parte "técnica" chamamos "Kuen Faat". E tem sido a partir dele que os membros da Família Moy Fat Lei tem se reunido em diferentes ocasiões juntos de seus Si Suk(foto)  e de mim (seu Si Fu) para que este processo relacional tenha início.
Na foto acima por exemplo, vemos uma prática numa noite de Sexta, horário este muito comum para as pessoas buscarem entretenimento mas que esses membros do Clã Moy Jo Lei Ou optaram por estar juntos no Mo Gun.

If the relational process which we call "Kung Fu Life" is the interpretation of the term in Cantonese dialect "Sam Faat". The "techniques" are called "Kuen Faat". And it was from it that the members of Moy Fat Lei Family has met on several occasions together their Si Suks (photo) and me (his Si Fu) to this relational process begins.

In the photo above for example, we see a practice on a Friday night, a time very common for people to seek entertainment but that these members of the Clan Moy Jo Lei Ou chose to be together in Mo Gun.
Seguindo a sugestão de Si Gung em sua visita por ocasião da inauguração do Núcleo Méier, estou promovendo pessoalmente uma prática reunindo membros do Núcleo Méier de diferentes horários e em diferentes momentos: Membros da Família MJLO, Moy Fat Lei e aspirantes a membros.
As práticas da manhã de Sábado têm sido muito divertidas. Sempre abordando temas que permitem todos praticarem juntos, tem rendido um grande processo de interação entre pessoas muito diferentes das duas Famílias e do Ving Tsun Experience.

Following the suggestion of Si Gung in his visit at the opening of the MYVT Meier School, I am personally promoting a practice bringing together members of Meier School from different times and at different times: Members from Moy Jo Lei Ou Family, Moy Fat Lei and aspiring members from the Ving Tsun Experience.

The Saturday morning practices have been very fun. Always addressing themes to everyone practice together, it has yielded a major process of interaction between very different people from both families and Ving Tsun Experience.
(Vitor Sá e Pedro Freire, ambos da Família Moy Fat Lei , tentam preparar o chá em meio a prática)
(Vitor Sá and Pedro Freire, both of Moy Fat Lei Family, try to prepare tea in the middle of practice)

A grosso modo, para a cultura clássica chinesa, "aprender" tem por objetivo "aprender a ser humano, aprender a fazer de si mesmo um ser humano." - Anne Cheng comenta: "Não há expressão melhor do que esta para dizer que ser humano é uma coisa que se aprende e isso constitui um fim em si. E mesmo o valor supremo, não existe valor mais alto... Nossa humanidade é construída e tecida nos intercâmbios entre as pessoas e na busca de uma harmonia comum. Toda a história humana busca uma harmonia comum. Toda a história humana bem como a nossa própria experiência individual estão aí para nos confrontar com a evidência de que nunca somos humanos o bastante, e que nunca acabaremos de tornar-nos mais humanos."

For the Chinese classical culture, "learning" aims to "learn to be human, learn how to make yourself a human being." . - Anne Cheng says: "There is no better expression than to say that being a human being is something that is learned and that is an end in itself and even the supreme value, there is no higher value ... Our humanity is built and woven in exchanges between the people and the search for a common harmony. the whole human history seeks a common harmony. the entire human history as well as our own individual experience are there to confront us with the evidence that we are never human enough and that never will end up to make us more human. "
Sra Helen Moy, os Grão-Mestres Miguel Hernandez e Leo Imamura e meu Mestre Julio Camacho, atentos a leitura de Chu Shong Ting do material da Moy Yat Ving Tsun Martial Intelligence , Si Hing de Patriarca Moy Yat em 2009.

Mrs. Helen Moy, the Grand Masters Miguel Hernandez and Leo Imamura and my Master Julio Camacho, attentive to the reading by Chu Shong Ting of material from Moy Yat Ving Tsun Martial Intelligence,in 2009.

Talvez por isso que independente de horário, dia, condições , etc... Façamos tanta questão de estarmos juntos. Porque acreditamos no aprendizado a partir deste processo relacional. E se já estivemos juntos tantas vezes, porque continuamos? Porque "aprender" não tem tempo passado em chinês... Você só pode estar "aprendendo", nunca terá de fato "aprendido"...

Maybe that's why regardless of time, day, conditions, etc ... We make so much a matter of being together. Because we believe in learning from this relational process. And if we've been together so often, why we continue? Because "learning" has no past time in Chinese grammar ... You can only be "learning" will never really "learned" ...


The Disciple of Master Julio Camacho
Thiago Pereira "Moy Fat Lei"
moyfatlei.myvt@gmail.com





No comments:

Post a Comment