ONDE PRATICAR

ONDE PRATICAR
Clique na imagem e conheça os Nucleos da Moy Yat Ving Tsun no Rio

Monday, June 1, 2015

New Legends: A military developing Kung Fu (Um militar desenvolvendo Kung Fu)

Meu nome é Fabiano Granado, tenho 23 anos, sou militar do Exército e estudante da cadeira de História na faculdade Estácio de Sá. Atualmente sou praticante da Moy Yat Ving Tsun no Núcleo Méier e membro da Família Moy Jo Lei Ou.

My name is Fabiano Granado, I'm 23, I am from Brazilian Army and student of history  at the Estacio de Sa college. I am currently practicing in Moy Yat Ving Tsun at Meier School and Im a member of Family Moy Jo Lei Ou.
(Si Fu fala algumas palavras a Fabiano no momento da formalização de seu ingresso na Família)
(Si Fu saying some words to Fabiano, when he Joined the Family)

Minha jornada a este empolgante universo teve início no que eu poderia descrever como mais um dos meus caprichos em querer me testar, saber até onde vão meus limites e em não querer seguir um padrão.
Através da minha caminhada dentro do universo marcial, desde o início, tenho aprendido bastante com membros mais antigos, membros estes que são verdadeiros irmãos e que estão sempre cuidando não só de mim, mas de outros praticantes mais novos que eu.
Em meio a conversas, alguns conhecidos não escondem a expressão de surpresa quanto à minha escolha, todavia, procuro explicar a elas, de maneira objetiva, que o Ving Tsun vai muito além do padrão "soco e chute" que as pessoas tendem a relacionar as artes marciais, acima disso, procuro explicar a elas que muita coisa pode acontecer até uma contenda ser desencadeada e que podem ser evitadas.

My journey to this exciting universe began what I could describe as another one of my whims in wanting to test me, how far will my limits and did not want to follow a pattern.
Through my journey into the martial universe from the beginning, I have learned a lot from older members, those members who are true brothers and who are always taking care not only of me but of other newer practitioners than me.
Amid conversations, some known not hide the look of surprise about my choice, however, I try to explain to them, objectively, the Ving Tsun goes far beyond the standard "punch and kick" that people tend to relate martial arts on top of that, I try to explain to them that a lot can happen to a feud be triggered and which can be avoided.
(Fabiano atento a um momento de Vida Kung Fu no Méier quando falávamos sobre Genealogia)
(Fabiano paying attention in a lecture about Genealogy at MYVT Meier School)


A relação 'Ving Tsun x trabalho x família' tem me permitido um olhar mais cuidadoso com as pessoas ao meu redor e o ambiente ao qual ocupo. Como experiência própria, meu olhar interpretativo mudou bastante e passei a enxergar as coisas antes delas acontecerem. Não que eu tenha adquirido poderes através do ving tsun (risos), mas meu desenvolvimento nos momentos formais me preparam, de alguma forma, para as vivências externas ao Mo Gun; eis o tal olhar interpretativo supracitado.
Vivemos em mundo agitado, onde cada vez mais as pessoas não têm muito tempo para as outras, não dentro do mo gun. Estar em contato com pessoas que jamais vimos nos dá uma imensa oportunidade de trabalhar as relações de convivência. A ideia de cuidar de outras pessoas para que as mesmas se sintam confortáveis no ambiente compartilhado, pode nos mostrar o quanto podemos mudar internamente, mudar nossas atitudes, ao passo que pode permitir mudar a maneira de tratar as pessoas que estão tão próximas a nós, como amigos, família biológica...
Cada dia é um dia diferente, assim como um momento formal é, por isso é importante tirarmos de cada um deles o máximo que pudermos inferir. Nas atitudes mais simples é que podemos tirar o maior dos ensinamentos. Compartilho aqui um pouco das minhas experiências, aprendizados e como tem sido para mim viver e conviver com meus irmãos kung fu.

The relationship 'Ving Tsun x work  x family' has allowed me a closer look at the people around me and the environment to which I occupy. How trough my own experience, my interpretive look has changed a lot and started seeing things before they happen. Not that I have acquired powers through the ving tsun (laughs), but my development in the formal moments prepared me in some way, for external experiences outside Mo Gun; here is such interpretive look above.
We live in hectic world, where more and more people do not have much time to the others, not within the mo gun. Being in touch with people who have never seen gives us a tremendous opportunity to work the coexistence relations. The idea of ​​taking care of other people so that they feel comfortable in the shared environment, can show us how we can change internally, change our attitudes, while it can enable change the way you treat people who are so close to us, as friends, biological family ...
Every day is a different day, as well as a formal moment is, so it's important we take each of them as much as we can infer. In the simplest actions can we make the most of the teachings. I share here some of my experiences, lessons learned and how it has been for me to live and get along with my kung fu brothers.

A To Dai (Student) of Master Julio Camacho
Fabiano Granado
fabiano.granado@gmail.com

No comments:

Post a Comment