ONDE PRATICAR

ONDE PRATICAR
Clique na imagem e conheça os Nucleos da Moy Yat Ving Tsun no Rio

Sunday, October 6, 2013

JANTAR COM SI FU : KUNG FU E O TEMPO ( DINNER WITH SI FU: KUNG FU AND TIME)

(Si Fu , eu e sua filha Julia durante jantar numa noite de Sexta. Jade foi quem tirou a foto)
(Thats me, Si Fu and his daughter Julia. His older daughter, Jade, was the one who took the pic)

No início desse ano, Si Fu comentou sobre ter uma maior disponibilidade de tempo para passar com a Família Kung Fu. E tenho conseguido aproveitar esse momento de Si Fu em sua companhia e muitas vezes na de sua Família também, como nessa noite de Sexta quando jantamos juntos um delicioso(ou não) macarrão...rs


Earlier this year,Si Fu said that he has more time available to spend with Kung Fu Family this year. And I managed to enjoy moments with Si Fu  and often with his family as well, as this Friday evening when we dined together a delicious (or not) pasta... lol

(Lanche com Si Fu e Gui Farias no final da tarde!)
(Some meal with Si Fu and Gui Farias in the afternoon!)

Quando procuramos praticar uma arte marcial, na maioria dos casos, é impensável que consigamos alcançar a mestria nessa arte por qualquer outra via senão através da prática constante, a que muitos chamam de treino. E qualquer outro caminho além desse é perda de tempo. Pois como disse Carl Von Clausewitz  em sua obra "Da Guerra": "...Pensando a guerra a partir do combate enquanto ato isolável, só podemos conceber-lhe a duração feita de "vários atos sucessivos" ou, no máximo, estreitando-lhes a ligação, como uma 'engrenagem de combates'..."
Ou seja, Clausewitz não consegue conceber um tempo em se tratando de guerra, quer seja através de um simples momento ou da guerra inteira, senão como uma constante soma de momentos de ação...

When we seek to practice a martial art, in most cases, it is unthinkable that we can achieve mastery in this art by any other way but through constant practice, which many call training. And any other way than this is a waste of time. Like said Carl Von Clausewitz in his book "On War": "... Thinking the war from combat while isolatable act, we can only conceive from many several successive actions or, at most, narrowing connecting them as a 'combat gear' ... "
So Clausewitz could not conceive the notion of time when it comes to war, whether through a simple moment or the whole war, but only as a constant sum of moments of action ...
(Si Sok Ursula com o jovem Lukas Imamura, filho de Si Gung, nos anos 90 durante visita de Si Taai Gung Moy Yat em SP)
(Si Sok Ursula, with the son of Si Gung, Lukas Imamura, in the 90's during a visit of Si Taai Gung Moy Yat in Sao Paulo, Brazil)

Já um de meus autores favoritos, o sinólogo François Julien, cita os estrategistas chineses que valorizam o tempo da transformação: "...Esse tempo entre os combates não é um tempo estéril, ou um tempo morto, como se diz, mesmo que pareça inativo, porque esse desenrolar permite uma evolução graças a qual a relação de força poderá pender finalmente para o bom lado. Não há diluição no tempo, mas maturação pelo tempo, nele o efeito não se perde, mas de desdobra..."

But one of my favorite authors, the french sinologist François Julien, cites Chinese strategists who value time process: "... That time between fights is not a time sterile, or dead time, as they say, even if it seems inactive, because this course allows an evolution through which the balance of power may lie finally to the good side. no dilution in time, but the maturation of the time, in it the effect is not lost, but unfolds itself ... "
(Bruce e Si Jo Ip Man em foto em restaurante)
(Bruce and Si Jo Ip Man, at the restaurant)

 (Julia se distraí com a moça do restaurante de macarrão)
(Julia looks to the lady of the Pasta Restaurant)

Quando jantamos juntos ou em qualquer outro momento que não durante uma sessão prática, também estou desenvolvendo meu Kung Fu com Si Fu. Não é que tenhamos um plano definido quando nos encontramos assim. E Si Fu também não fala por enigmas nem nada que já tenha visto num filme... Apenas sentamos, comemos, conversamos, e vamos nos apoiando no potencial de cada coisa que acontece e em cada coisa que é dita. Pois como Si Gung tem dito: "...Kung Fu não pode ser ensinado, mas pode ser aprendido..."

When we had dinner together, or at any other time than during a practice session, I am also developing my Kung Fu with Si Fu. Not that we have a definite plan when we are together. And 
Si Fu also does not speak in riddles or anything I've ever seen in a movie ... Just sit, eat, talk, and we're taking advantage supporting the potential of everything that happens and everything that is said. As Si Gung has said: "... Kung Fu can not be taught but can be learned ..."

THE DISCIPLE OF MASTER JULIO CAMACHO
Thiago Pereira "Moy Faat Lei"
moyfatlei.myvt@gmail.com

No comments:

Post a Comment