ONDE PRATICAR

ONDE PRATICAR
Clique na imagem e conheça os Nucleos da Moy Yat Ving Tsun no Rio

Wednesday, July 4, 2012

dining with Si Fu on the beach! (JANTANDO COM SI FU NA PRAIA!!)

Tirando o fato de que esbarrei com a To Dai de Si Sok Ursula, Inez Viegas enquanto caminhava para mais um compromisso de trabalho em Ipanema, era pra ser só mais uma Terça-feira, na qual eu voltaria para casa pela orla ouvindo She´s Drive me Crazy ou algo parecido. Mas então, ainda em São Conrado resolvi ligar para o Si Fu para perguntar uma coisa, e ele me convidou para ir ao Mo Gun.

Foi uma tarde bem marcante na companhia de Si Fu, Si Sok Ursula e seu marido Ricardo Lopes,
Si Sok Homero, Si Sok Jones e Guilherme. Mas o melhor ainda estava por vir, quando levando Si Fu pra casa com Guilherme, resolvemos ir até a praia e jantarmos juntos!


Despite the fact that I rmet accidentally with Si Sok Ursula's To Dai, Inez Viegas while I was walking to an another job in Ipanema, It was supposed to be just another Tuesday, in which I would return home by the shore  listening She's drive Me Crazy or something like that. But then, still in São Conrado neighborhood, I decided to call  Si Fu to ask him something, and he invited me to go to Mo Gun.


It was a great afternoon in the company of  Si Fu, Si Sok Ursula and her husband Ricardo Lopes
Si Sok Homeroi, Si Sok Jones and Guilherme. But the best was yet to come, when taking Si Fu home with Guilherme,we decided to go to the beach and dinner together!

Si Fu tinha estava acordado desde 2 am e já passava das 19 h, mas isso não foi motivo para ele não querer passar um tempo conosco num ambiente muito agradável. E neste jantar entre assuntos variados, além de descobrir mais sobre gostos musicais do meu Mestre, e ele tentar lembrar de alguma música que eu dizia gostar.. como Head Over Heels ou Mad World , ambos do Tears for Fears..rsrs Ele dividiu conosco muitos pontos importantes do Kung Fu e queria compartilhar um com vocês.

Si Fu was awake since 2 am and it was after 19 h, but this was not reason for him not wanting to spend time with us in a very pleasant environment. And this dinner had a variety of subjects, and I find out more about musical tastes of my Master, and he tries to remember songs I was saying that I like  .. as Head Over Heels or Mad World , both by Tears for Fears .. lol He shared with us many important points of Kung Fu and I would like to share one with you.
Si Fu comentava, dentro do contexto da conversa , que muitas vezes temos que prestar atenção no efeito que queremos atingir, quando dizemos algo para alguém. Se observamos que o que vamos dizer não tem utilidade é melhor ficar calado. Isso porque, ainda segundo ele, muitas vezes achamos que temos a obrigação de dizer para alguém como determinada coisa funciona de fato, como deveria ter sido feito, como é na realidade,etc etc... Mas com o pretexto de achar que estamos ajudando a pessoa, a pergunta principal fica de lado: "Será que essa pessoa queria nossa ajuda?" .
Assim, seria arrogância, acharmos que sabemos o suficiente para falar com alguém, que nem ao menos nos solicitou, como ela deve proceder: "Quem sou eu, quem é o Guilherme, e quem é o Pereira, para dizer como alguém deve fazer alguma coisa?" - indagou Si Fu.


Si Fu commented, within the context of the conversation, we often have to pay attention to the effect that we want to achieve when we say something to someone. If we see that what we want to say is useless is better to be silent. This is because, he said,  we look like as we have an obligation to tell someone how certain thing actually works as how it should have been done, or how it is in reality, etc etc ... But on the pretext that we are helping  the person, the main question is aside: "Does this person want our help?" .
Thus, it would be arrogance, we think we know enough to talk to someone who never even asked us, how him or her should proceed: "Who am I, who is Guilherme or who is Pereira  to say how someone should do some thing? "- Asked Fu.


Voltamos no carro ouvindo João Bosco,um dos cantores preferidos de Si Fu. E suas músicas "Memórias da Pele", "Desenho de Giz" e "Jade"(acima), de onde talvez tenha vindo o nome de sua filha.
Será que quando for Si Fu e falar aos meus discípulos que minhas bandas preferidas são o A-ha e o Van Halen , eles vão gostar?rsrs   JUMP! rs


We're back in the car listening to Joao Bosco, one of the favorite singers of Si Fu. And his songs played in the car "Memories of Skin," "Chalk Drawing" and "Jade" (above), where Si Fu´s daughter maybe had her name from..
I´m thinking when I become a Si Fu and talk to my disciples that my favorites bands are  A-ha and Van Halen,if they will like? Lol JUMP! lol




THE DISCIPLE OF MASTER JULIO CAMACHO
Thiago Pereira "Moy Fat Lei"
moyfatlei.myvt@Gmail.com


1 comment:

  1. Esse tema sempre se mantém presente. Há anos ouvi dele mesmo exatamente o mesmo e, desde que ouvi pela primeira vez, dou minha fé. Comento aqui, por que as coisas que envolvem esse tipo de questionamento nunca alcançam resposta definitiva. São matéria daquilo que nós usamos como objeto sobre o qual aplicamos nosso Kung-fu. Em outras palavras, esse "objeto" é uma face da própria variação por natureza.

    Acredito que o problema maior não reside apenas em interferir ou não com uma opinião, conselho ou ajuda não solicitados. A decisão que se toma, inclusive de nada dizer, nada fazer, não serve como fórmula definitiva do sucesso. A espera, como decisão de não-agir, deve ter um propósito único estrategicamente: geralmente de compreender e conectar-se à situação para decidir melhor em seguida. Indo além disso, pensa-se decidir esperar, enquanto na prática se optou por "desprezar". Não há nada categoricamente errado com desprezo, meu ponto diz respeito ao vício estratégico de fazer um "quid pro quod", querendo uma coisa e decidindo outra.

    Um dos desafios mais comuns que todos enfrentam continuamente a esse respeito é responder à simples pergunta "o que você acha?" , no momento em que a outra pessoa se encontra insegura para tomar alguma decisão sobre ação ou a respeito de si mesma. A pior coisa que o "conselheiro" pode fazer é responder. A melhor seria perguntar.

    Presume-se, claro, que a pessoa que pede opinião é importante para a outra nesse meu exemplo. Isso retira da gama de respostas à situação a possibilidade de indiferença. Essas são as verdadeiras situações difíceis, penso eu. Surgem questões como: "quem é esta pessoa para mim?" , "Quem eu escolho ser nessa situação?, "O que de fato esta pessoa pede?", "O que estou disposto a dar?"; fora os porquês.

    O que se vê constantemente e merece boa análise crítica é como pessoas costumam criticar pessoas no lugar de suas ações; como "conselheiros" acreditam que realizam o bem ao fazerem o outro crer que é mais inadequado do que já pensa que é. Parece ser bem provável que exista mais gente atrapalhando tentando ajudar do que gente indiferente, gente de fato ajudando ou propriamente querendo "avacalhar" o negócio de vez! :-) O resultado de tudo isso é cada vez mais pessoas entrando em uma espécie de "estado de desamparo". Seria heresia se eu levantar a hipótese de que pode haver pessoas com mais felicidade na vida entre as que passam fome, do que muitas entre as que têm tudo que o que o dinheiro pode comprar?

    Belíssimo tema! Parabéns!

    ReplyDelete